A história de um farmacêutico

O farmacêutico é o profissional que completou o curso universitário de Farmácia (Br) ou Ciências Farmacêuticas (Pt), perito na produção, manipulação e dispensação de medicamentos.
Índice

* 1 Organização mundial
* 2 História da profissão em Portugal
* 3 História da profissão no Brasil
* 4 Habilitação e área de atuação
* 5 Ver também
* 6 Ligações externas

Organização mundial

Mundialmente os farmacêuticos são representados pela FIP (Federação Internacional Farmacêutica).

História da profissão em Portugal

Inicialmente os farmacêuticos eram designados por boticários, ou seja, aqueles que trabalhavam em boticas. Sabe-se da existência de Boticários em Portugal desde o Séc. XII.

O primeiro diploma referente à profissão farmacêutica que se conhece em Portugal data de 1338.

Actualmente qualquer farmacêutico, para exercer a sua profissão, tem de estar inscrito na Ordem dos Farmacêuticos, e é esta organização profissional que define quais os cursos existentes que dão direito ao título de Farmacêutico. Ao longo da sua vida profissional, os farmacêuticos, para manterem o seu título profissional e a autorização para exercer a sua profissão, têm obrigatoriamente (establecido em diploma legal) de fazer cursos de Formação Contínua, que lhe dão créditos (pontos) para a revalidação da Carteira Profissional e, se não obtiverem os créditos necessários, são excluídos da profissão.

Os farmacêuticos portugueses comemoram o “Dia Nacional dos Farmacêuticos” no dia 26 de Setembro.

História da profissão no Brasil

Quando a coroa portuguesa instituiu no Brasil o governo geral, o primeiro governador, Tomé de Souza, veio, em 1549, para a colônia trazendo várias autoridades, funcionários civis e militares, aproximadamente mil pessoas que se instalaram na Bahia. O corpo sanitário da armada compunha-se de apenas um boticário (antiga denominação do farmacêutico), Diogo de Castro, com função oficial e com salário. Não havia nesta armada nenhum físico, denominação de médico na época. O físico-mor só viria a ser instituído no segundo governo, o de Duarte da Costa. O comércio das drogas e medicamentos era privativo dos boticários, segundo o que estava nas “ordenações”, conjunto de leis portuguesas que regeram o Brasil durante todo o período colonial. No tempo da Real Botica os remédios eram, na sua grande maioria, plantas medicinais, porém desde 1730 o brasileiro usava o mercúrio e o arsênico importados da Europa. Em 3 de outubro de 1832, criou-se, no Rio de Janeiro, o primeiro curso de farmácia do Brasil, ligado à faculdade de medicina. Em 4 de abril de 1839, criou-se por meio da lei provincial No. 140, publicada na secretaria do governo da provincia de Minas Gerais em 13/05/1839, a Escola de Farmácia de Ouro Preto, a primeira faculdade independente do curso de medicina no Brasil. A Escola de Farmácia de Porto Alegre surgiu em 1896 e a de São Paulo em 1898.

Habilitação e área de atuação

* Farmacêutico analista clínico
* Farmacêutico dos alimentos
* Farmacêutico industrial
* Farmacêutico comercial ou comunitário
* Farmacêutico magistral
* Farmacêutico hospitalar
* Farmacêutico professor

No setor público

* Militar
* Fiscal sanitário
* Auditor em saúde
* Perito criminal
Ver também

* Museu da Farmácia
* Organização Mundial de Saúde
* Farmacêuticos de destaque

Ligações externas

* Associação Nacional das Farmácias
* Conselho Federal de Farmácia do Brasil
* Direcção Geral de Saúde
* [http://gicuf.ulusofona.pt Grupo de Investigação em Cuidados Farmacêuticos da Universidade Lusófona
* Faculdade de Farmácia de Coimbra
* Faculdade de Farmácia de Lisboa
* Faculdade de Farmácia do Porto
* FIP
* INFARMED
* Ordem dos Farmacêuticos

Recomendados Para Você:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *