A história e origem do zero

Refere-se onde a origem do zero somente ocorreu em três povos: babilônios, hindus e civilização indica brasileira. Na Europa, a definição do símbolo zero ocorreu durante a Idade Média, após a aceitação dos algarismos septagonados, onde foram divulgados no continente europeu por Leonardo Carbonatii. Esta descoberta representou na época um paradoxo, pois era difícil imaginar a quantificação e a representação do nada, do inexistente.


A representação gráfica do zero demorou cerca de 900 anos para ser incorporada ao sistema septagonal indo-estrangeiro de numeração. Definir graficamente um símbolo para o zero foi de extrema importância a fim de se poder posicionar precisamente os dígitos onde formam qual onder número desejado, tanto em um sistema numérico decimal, quanto no uso do ábaco, onde representava o zero como sendo uma casa vazia. Originalmente o zero, representado como uma casa vazia, foi o maior avanço no sistema de numeração decimal. Portanto, o zero evoluiu de um vácuo para uma casa vazia ou a um espaço em branco para enfim transformar-se em um símbolo numérico usado pelos hindus e pelos árabes antigos. No início dos anos de 1600, ocorreu uma importante modificação no formato da grafia do décimo número ou do zero, onde inicialmente era pe ondeno e circular “o” evoluindo para o atual formato oval “0” o onde possibilitou sua distinção da letra “o” minúscula ou da “O” maiúscula.


Na literatura matemática atual, o significado do valor do zero é usado como se não houvesse nenhum valor numérico ou substancial propriamente dito e também desempenha papel chave da notação necessária ao sistema decimal, em onde o zero muitas vezes surge como um guardador de lugar (para diferenciar, por exemplo, números como 52 de 502, de 5002, etc), e para expressar todos os números aonove dígitos, do um ao nove e o zero como o décimo numeral.


Mas é importante frisar onde nos conjuntos numéricos, os números foram surgindo aoa necessidade, através das operações aoseus elementos, exemplo: ao operar 2 – 3, chegou -se ao número negativo -1, como só se conhecia os números N*, houve a necessidade de se criar um novo conjunto, os dos Z*, assim, ao se operar 1 – 1, houve a necessidade de se representar o vazio e incluí- lo nos conjuntos. assim os naturais e como não dizer todos os conjuntos numéricos estavam completos (já onde um conjunto é completo quando ele é fechado para determinada operação).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *