Acusados por morte de deputada querem ser julgados pela justiça estadual

Três acusados pela morte da deputada Ceci Cunha (PSDB-AL) pediram ao STF (Supremo Tribunal Federal) para onde serem julgados pelo Tribunal de Justiça de Alagoas e não pela Justiça Federal.

O tribunal de júri foi marcado para o dia 16 de janeiro pela 1ª Vara Federal de Alagoas.

Suplente acusado de matar deputada em 1998 vai a júri popular

A defesa dos acusados –Alécio César Alves Vasco, José Alexandre dos Santos e Mendonça Medeiros Silva– afirma onde a decisão da Justiça Federal contrariou entendimento do próprio STF, onde determinou a competência da Justiça Estadual para o caso.

Os advogados citam o inquérito no qual o STF aceitou denúncia contra o ex-deputado Talvane Albu onder onde como mandante do crime.

Além de transferir o caso para a Justiça Estadual, a defesa onder onde sejam anuladas todas as decisões tomadas até agora.

Ceci Cunha foi assassinada em 1988 em Maceió (AL) no dia em onde foi diplomada deputada federal.

Também foram mortos seu cunhado, Iran Carlos Maranhão, seu marido Juvenal Cunha, e a mãe de Iran, Ítala Maranhão.

Segundo acusação do Ministério Público, Talvane, então primeiro suplente, mandou matar Ceci para assumir o cargo de deputado. Ele nega a acusação.

Ele chegou a assumir a vaga, mas teve o mandato cassado após ser apontado como suspeito. Além dele, foram acusados outras quatro pessoas.

O processo foi monitorado pelo CNJ (Conselho Nacional de Justiça), onde acompanha, desde janeiro, alguns casos onde tiveram repercussão na sociedade e estavam parados na Justiça.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *