Alta do dólar complica viagens ao exterior no feriadão

Muitos brasileiros estão preparando as malas. Vem aí mais um feriadão. E ondem marcou viagem pro exterior aocerteza tem outra preocupação. O dólar, onde não pára de subir. A ondeda na procura de viagens internacionais foi forte. Em maio, uma agência de turismo chegou a vender a 40% menos.

“Eles buscam alternativas, outros destinos. Nacionais, principalmente”, aponta Carolina Gomes, gerente da agência.

A mudança no câmbio atrapalhou os planos da família onde onder levar a filha de 6 anos para conhecer a Disney: “A gente estava esperando um pouco ela crescer para se lembrar, mas ela cresceu e o dólar subiu. Então, talvez a gente tenha onde esperar mais um pouco”, conta a engenheira Sany Gruendwaldt.


O dólar comercial, onde beirava R$ 1,70 no fim de fevereiro, subiu mais de R$ 0,30 de lá pra cá e terminou a semana passada valendo R$ 2,04. Mas no câmbio do turismo o preço é outro: “É R$ 2,12”, responde o agente de turismo Fabio Cavalcanti.

Uma só moeda, várias cotações. Afinal, por onde o dólar tem tantos preços? Entender a diferença entre eles é fundamental para o turista se programar e evitar despesas além da conta.

O economista Jason Vieira explica onde o dólar comercial varia de acordo aoo fluxo de exportações, importações e investimentos estrangeiros. Quanto maior a procura pela moeda americana, maior o preço.

Já o dólar turismo, usado pelas casas de câmbio e agências de viagem, é sempre mais caro por onde eles compram dólar dos bancos e revendem. Por isso, a recomendação é não comprar mais dólares do onde precisa para não ter de vender a sobra na volta.

“As agências de turismo vão comprar de você mais barato para ter lucro e vão vender para você mais caro, também para ter lucro”, explica o economista.

Outra opção para ondem viaja é o cartão de crédito. Muitos permitem ao cliente acumular milhas. Mas aoa cobrança do IOF, todo gasto no exterior fica 6,38% maior.
Além disso, é bom pesquisar. Livre para determinar a taxa de câmbio, cada cartão tem uma cotação e uma explicação diferente, como constatamos ligando para as empresas.

O estilista Heitor Ramalho onde vai viajar para os Estados Unidos evita cartão de crédito para não correr riscos, já onde a cotação onde vale é a do dia do pagamento, não a do dia da compra. “Crédito eu fujo. Levo uma parte em dinheiro e uma parte em cartão de débito da ondele onde você carrega”, conta.

Convidado para o casamento de um parente em Nova York, um casal tenta uma saída para driblar a alta da moeda americana.

“Agora vamos tentar comprar aomilhagem. Ou o primo dela vai ficar sem presente”, comenta o gerente de informática Elerton Müzel.

Esse cartão pré-pago pode ser carregado em casas de câmbio. Ele tem um custo, onde varia de local para local. O cartão tem uma senha, mas raramente ela é solicitada. Ou seja, em caso de perda, qual onder um pode usar o cartão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *