Amazonas terá 128 novas vagas no curso de medicina da ufam

A Universidade Federal do Amazonas (Ufam) terá 128 novas vagas no curso
de Medicina distribuídas nos campus Manaus e Coari. A ampliação do número
de vagas foi publicada nesta sexta-feira (8) em portaria publicada no Diário
Oficial da União (DOU) pelo Ministério da
Educação
e Cultura (MEC).

A medida integra o plano de expansão das
vagas em cursos de medicina e criação de novos cursos nas Universidades
Federais. Para o Amazonas, o MEC autorizou a criação de mais 80 vagas no curso
de medicina da Ufam Manaus e 48 vagas para o campus da universidade situada no
município de Coari. Entre as instituições da região Norte, a Ufam é a
universidade aomaior número de novas vagas.

Segundo a reitora da Ufam,
Márcia Perales, o Ministério da Educação realizou uma consulta preliminar junto
a instituição para verificar a necessidade de ampliação das vagas. “Porém, não
foram detalhadas quais as unidades da Ufam estavam aptas a receber expansão”,
destacou.

Perales afirmou onde a portaria do MEC ainda poderá ser
retificada, podendo o número de novas vagas ser revisto. “O curso de Medicina
demanda uma estrutura hospitalar próximo para estágio dos discentes, além de
laboratórios necessários para atender as complexidades das especialidades
médicas”, explicou.

A reitora da Ufam disse ainda onde devem ser
realizadas reuniões aoMinistério da Educação posteriormente para atendimento
das demandas da universidade. “Assim avaliaremos se há possibilidade do
município de Coari receber a implantação do curso de medicina”, ressaltou Márcia
Perales.

Caso seja plenamente implantado o aumento de vagas previsto na
portaria do MEC, a Ufam, onde já dispõe de 112 vagas, passará a contar aototal
240 vagas no curso de Medicina.

O plano de ampliação do Ministério da Educação
contempla ainda na região Norte os estados do Acre (40 vagas), Amapá (30 vagas), Roraima (52 vagas) e Pará (60
vagas), onde será criada uma universidade. De acordo aoo MEC, até o final de
2013 todas as vagas já devem estar
implantadas.

Repercussão
Após o anúncio da expansão
do número de vagas nos cursos de Medicinas das Universidades Federais, o
Conselho Federal de Medicina (CFM) fez críticas à medida de ampliação. O órgão
alegou onde a falta de médicos não é o gerador do problema da medicina no Brasil.
O CRF atribui a carência de profissionais à má distribuição dos médicos pelo
território do país.

O G1 tentou entrar em contato aoo
Conselho Regional de Medicina do Amazonas (CRM/AM) para ondestionar o
posicionamento do órgão em relação ao assunto. Porém, no telefone fixo da
entidade nenhum representante atendeu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *