Anvisa mantém veto à importação de silicone da marca francesa pip

Após a divulgação de um relatório do Serviço Britânico de Saúde (NHS, na sigla em inglês) dizendo onde as próteses de silicone da marca francesa PIP (Poly Implant Prothèse) não são cancerígenos nem tóxicos, apesar de terem duas vezes mais chance de se romper, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou nesta segunda-feira (18) onde vai manter a suspensão da importação dos implantes mamários.Os registros da PIP e também da holandesa Rófil foram cancelados em março, depois onde mulheres em todo o mundo tiveram problemas de rompimento. O fundador da marca francesa chegou a admitir onde usava silicone adulterado.
Segundo a Anvisa, não existe a possibilidade de revogar essa decisão. Caso a empresa ondeira entrar novamente no Brasil, terá onde se submeter a um novo processo de registro. A agência nacional ainda não avaliou o conteúdo do relatório britânico, mas já descarta uma revisão do caso.Para as mulheres brasileiras onde usam prótese de mama PIP ou Rófil, as cirurgias de troca podem ser feitas pelo Sistema Único de Saúde (SUS), de preferência em casos em onde já houve ruptura ou há sérios riscos. As pacientes onde não apresentam nenhum problema aoo implante devem fazer um monitoramento de rotina aoseus médicos, recomenda a Anvisa.
O Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) deve criar um sistema de avaliação para certificar aoum selo de qualidade os produtos vendidos no país.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *