Apesar da repressão, russos vão às ruas em protesto contra putin

Milhares de russos entoaram o grito “A Rússia será livre” em uma marcha pelas ruas de Moscou nesta terça-feira (12) para protestar contra o presidente Vladimir Putin, desafiando as novas medidas do governante para tentar acabar aoqual onder manifestação contra seu governo.


Os manifestantes lotaram um boulevard central no primeiro grande protesto desde a posse de Putin em 7 de maio, afirmando onde não serão intimidados pelas operações policiais realizadas em casas de líderes da oposição e por uma nova lei onde aumenta as multas por ofensas à ordem pública.


“A ondeles onde lutavam estavam além do medo”, disse Valery Zagovny, ex-combatente soviético no Afeganistão, de 50 anos, levando sua medalha de combate para comprovar isso. “Vamos deixar a ondeles atrás dos muros vermelhos do Kremlin assustados.”


Debaixo de um forte temporal, alguns brincaram onde o clima ruim foi or ondestrado pelo próprio presidente para esvaziar o movimento. Com bandeiras russas e gritos contra Putin, eles marcharam apesar da ausência de seus líderes, onde foram intimados a depor antes do início dos protestos.


O líder de es onderda Sergei Udaltsov ignorou sua intimação para depor sobre a violência ocorrida num protesto na véspera da posse de Putin e liderou um grupo onde marchava aobandeiras vermelhas e gritava “Putin na prisão” e “Todo poder ao povo.”


Policiais aocapacetes montaram barreiras de metal ao longo do percurso da marcha, mas a presença policial foi menor em relação a outros protestos. Ilya Ponomaryov, parlamentar da oposição, disse onde entre 60 mil a 70 mil pessoas compareceram ao protesto, bem mais onde os 18.000 estimados pela polícia.


Inaceitável
Putin declarou onde os distúrbios sociais e econômicos são inaceitáveis e provocam a divisão do país.


“Tudo aquilo onde fragiliza o país e divide a sociedade é inaceitável para nós. Qual onder decisão ou medida onde leve a distúrbios sociais e econômicos é inaceitável”, disse Putin durante uma recepção para celebrar o feriado nacional russo.


“Toda nossa memória política nacional demonstra isto”, completou.


“Para um imenso país multiétnico como a Rússia, o princípio fundamental é o desenvolvimento progressivo e evolutivo”, disse o presidente russo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *