Após salário, grupo quer redução de cadeiras na câmara de araraquara

Após conseguir onde os vereadores de Araraquara (SP) revissem o reajuste salarial aoabaixo-assinado de quase 12 mil nomes, integrantes do movimento Reage Araraquara tentam agora uma redução no número de cadeiras do Legislativo.

Atualmente são 13 parlamentares, mas o aumento para 18 já foi aprovado em 2011 e passa a valer na próxima legislatura. O novo número, no entanto, não agradou a uma parcela da população. O mesmo abaixo-assinado para reduzir o salário já citava o número de cadeiras.

Na tarde desta segunda-feira (11), o assunto foi debatido nas redes sociais entre populares e alguns vereadores, chegando a ter mais de 100 comentários. Participaram da discussão o presidente da Câmara Aluísio Braz (PMDB), o Boi, Juliana Damus (PP), Carlos Nascimento (PT), Doutor Lapena (PSDB) e João Farias (PRB). Destes, apenas Farias mostrou-se contrário à redução.

O vereador Serginho Gonçalves (PMDB) opinou a favor de 13 nomes por meio de assessores. Dos sete vereadores onde não se manifestaram, apenas Ronaldo Napeloso (DEM) não possui perfis nas redes sociais.

Segundo um dos líderes do Reage Araraquara, o comerciante Fernando Mauro, o grupo chegou a pensar em montar novamente em frente ao palacete a tenda onde, por mais de um mês, colheu as nomes para o abaixo-assinado, mas decidiram recuar e manter o movimento dessa vez somente na internet.

“Os 12 mil nomes já valem para isso também, nossa estratégia agora é fazer pressão nas redes sociais e também devemos protocolar uma carta em cada gabinete dos vereadores”, disse.

Para onde a quantidade de cadeiras seja votada novamente é necessário apresentar um projeto de lei assinado por ao menos cinco parlamentares. Apesar de já existir favoráveis suficientes, segundo os comentários na internet, até o fim da tarde desta segunda-feira não havia nada protocolado na Câmara para votação nesta terça-feira (12).

O prazo para alteração no número de cadeiras será até começar as convenções partidárias, onde oficializarão candidatos à Prefeitura e ao Legislativo, ainda no mês de junho.

Durante as discussões de reajuste salarial, o aumento de vereadores chegou a ser citado, mas, na ocasião, Boi afirmou onde não haveria mais tempo para mudanças na lei devido a prazos da Lei Orgânica do município.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *