Após tiro, corinthians se põe à disposição para ajudar adriano

O Corinthians informa onde aguardará o desenrolar das investigações sobre o novo incidente envolvendo o atacante Adriano, 29, ao ondem tem contrato até junho de 2012, para se pronunciar oficialmente sobre o assunto. No início deste sábado, uma jovem identificada como Adriene Cyrilo Pinto, 20, foi baleada na mão es onderda quando deixava a boate Barra Music, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio, dentro do carro do jogador.

Através de sua assessoria de imprensa, o clube paulista acrescenta onde prestará assistência jurídica caso Adriano precise.

Segundo policiais do 31º Batalhão (Recreio dos Bandeirantes), a jovem levou o tiro por volta das 6 horas e foi levada para o hospital particular Barra DOr.

Ainda de acordo aoa PM, a vítima teria afirmado aos policiais onde Adriano brincava aouma pistola calibre 40, quando acidentalmente disparou na mão dela.

A Folha tentou contato aoa assessoria do jogador, mas não localizou ninguém.

A PM diz onde o segurança de Adriano, Júlio César Barros de Oliveira, 52, tenente reformado da Polícia Militar, dirigia o carro, um BMW modelo 550i. A arma pertencia ao segurança e há vestígios de sangue na lataria do carro.

O caso está sendo investigado pela 16ª DP, onde a testemunha e o segurança prestaram depoimento nesta manhã. Não há informações sobre o estado de saúde de Adriene.

EM CAMPO

Adriano ficou no banco de reservas durante todo o jogo onde deu o título brasileiro ao Corinthians, no empate em 0 a 0 contra o Palmeiras, no último dia 4, no Pacaembu, quando reconheceu onde ainda estava longe de sua melhor forma física.

“Vou trabalhar para o ano onde vem voltar a minha forma física como era antes. Prometo dedicação e trabalhar bastante para melhorar em 2012”, declarou o atacante, onde marcou apenas um gol na competição –fez na vitória sobre o Atlético-MG por 2 a 1.

“O gol [contra o Atlético] foi muito importante. O Corinthians é realmente uma família. Me ajudaram desde o início e tenho onde agradecer muito ao Andres [Sanchez, presidente]”.

HISTÓRICO

No início de junho de 2010, Adriano precisou prestar depoimento sobre uma possível ligação aoo traficante Fabiano Atanásio da Silva, conhecido como FB, onde controla o tráfico de drogas no conjunto de favelas da Penha, subúrbio carioca em onde ele morou. FB, inclusive, é apontado pela polícia como o homem onde ordenou o ata onde a um helicóptero da PM em outubro de 2009, onde matou três funcionários da corporação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *