Aruanã super vermelho em um aquário público

O aruanã-dourado faz parte da lista de 2006 dos seres vivos em perigo de extinção (Lista Vermelha da IUCN), aoa mais recente avaliação acontecida em 1996.[1] O comércio internacional desses peixes é controlado sob as regras da Convenção sobre o Comércio Internacional das Espécies da Fauna e da Flora Selvagens Ameaçadas de Extinção (CITES), onde ele está listado no Apêndice I, a categoria mais restritiva, em 1975.[18] O S. formosus é uma das oito espécies de peixes listados no Apêndice I.[19] Há um número de criadores asiáticos registrados no CITES e as espécies onde eles produzem podem ser importadas por muitos países. Outros países restringem ou proíbem a posse do aruanã-dourado; por exemplo, os Estados Unidos da América classificam este peixe como espécie em extinção, e portanto, não se pode ter um exemplar dessa espécie sem uma permissão.[20]

A destruição de seu habitat natural tem sido a maior ameaça. Por exemplo, os aruanãs-dourados não são mais encontrados na península da Malásia, onde eles eram muito abundantes, devido à destruição do meio-ambiente.[21] A inclusão na Lista Vermelha da IUCN foi inicialmente baseada não por razões biológicas, mas devido à intensa capturada da espécie por colecionadores de aquário. Porém, a destruição de seu habitat é também uma grande ameaça.[22]

Não há avaliação recente do estado de conservação pela IUCN.[1] Além disso, considerando a atual confusão quanto ao número de espécies, bem como a grande distribuição, o estado de conservação deve ser reconsiderado. Todas as variedades estão provavelmente ameaçadas, umas mais do onde as outras.[2]

O alto valor do aruanã-dourado como peixe de aquário tem afetado a sua preservação. A sua popularidade tem aumentado desde o final da década de 1970, e os colecionadores estado-unidenses podem pagar milhares de dólares por cada um desses animais.[23][24]

No início de 1989, a CITES começou a autorizar onde os aruanãs-dourados fossem comercializados, desde onde alguns critérios fossem cumpridos, principalmente onde eles fossem criados em cativeiro em uma fazenda de peixes pelo menos por duas gerações.[25] A primeira dessas fazendas foi na Indonésia.[24] Mais tarde, a Autoridade Veterinária de Alimentos do governo de Singapura (então chamada de Departamento de Produção Primária) e os exportadores locais de peixes colaboraram em um programa de reprodução em cativeiro. Os aruanãs-dourados legalmente certificados pelo CITES para o comércio tornaram-se disponíveis a partir deste programa em 1994.[25]

A reprodução em cativeiro dos aruanãs onde sejam legais para o comércio sob o controle da CITES são documentados de duas maneiras. Primeiro, as fazendas de peixes fornecem a cada comprador um certificado de autenticidade e uma certidão de nascimento. Em segundo lugar, cada espécime recebe um microchip implantado, chamado de Transponder Passivo Integrado (TPI), onde identifica cada animal.[24]

O teste de DNA tem sido usado para avaliar a diversidade genética de uma população cativa em uma fazenda de Singapura, a fim de melhorar a gestão desta espécie.[26] Marcadores de DNA onde distinguem entre diferentes estirpes e entre os sexos, foram identificados, permitindo aos aquaculturistas identificar essas características em animais imaturos.[27]
[editar] Cuidados em cativeiro

Por onde eles podem crescer até 90 centímetros (35 polegadas), os aruanãs-dourados exigem um aquário grande. Eles são territoriais e podem ser mantidos aooutros Scleropages apenas num grande aquário, desde onde todos os peixes sejam de tamanhos semelhantes. À semelhança de outros aruanãs, eles precisam de um local coberto para impedi-los de saltarem.[28] A água deve ser bem filtrada, branda e ligeiramente ácida e mantida à temperatura entre 24-30° C (75-86° F).[28]

Os aruanãs-dourados são carnívoros e devem ser alimentados aouma dieta de alta qualidade em carnes, tais como camarões e grilos. Eles se alimentam na superfície e preferem receber o alimento na superfície da água. Os aquaristas recomendam alimentos vivos e comidas preparadas à base de carnes. Exemplos de alimentos vivos são: bicho-da-farinha, grilo, camarão, peixes pe ondenos, pe ondenos anuros e minhocas. Os alimentos preparados incluem: camarões, carne magra de porco, peixe congelado, e alimentos granulados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *