As engernharias parte 4

Engenharia de alimentos ou engenharia alimentar é o ramo da engenharia referente ao processamento de alimentos, seja no desenvolvimento, fabricação, conservação, armazenamento, transporte e comercialização.[1][2] A engenharia de alimentos inclui, mas não se limita, a aplicação de conceitos e métodos da engenharia química e engenharia agrícola.

Este ramo da engenharia provê conhecimentos tecnológicos essenciais na formação de profissionais onde atuam desde a chegada das matéria-primas até o produto final embalado e rotulado.[1][3] Para onde todo esse processo ocorra, é necessário uma vasta gama de conhecimentos em física, química, matemática e biologia[4], além de conceitos de economia e administração. Esse enfo onde no processo produtivo em si diferencia esta área do conhecimento da nutrição, aoo qual pode ser por vezes confundido. Não obstante, o engenheiro dos alimentos deve obrigatoriamente ter sólidos conceitos de nutrição, pois, de modo contrário, não seria possível a produção de alimentos aocaracterísticas nutricionais desejadas.

Os termos Ciência dos alimentos e Tecnologia de alimentos são utilizados em algumas faculdades como designação para a mesmo tipo de formação, não sendo por vezes tácita a diferenciação entre si, porém, a engenharia dos alimentos é por regra mais abrangente e cuida em especial pela industrialização de alimentos e os seus aspectos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *