Bicheiros são presos com joias e relógios

A polícia do Rio de Janeiro prendeu cinco pessoas e apreendeu dezenas de joias ontem durante a operação “Tempestade no Deserto”, para desarticular uma quadrilha.

Foram apreendidos dezenas de joias, relógios de marcas famosas, além de R$ 38.600, 9.550 euros e 7.100 dólares.

Entre os presos estão dois policiais militares e um policial civil, além da ex-mulher do criminoso Waldomir Paes Garcia, o Maninho, morto em 2004, e da mulher de um oficial da Polícia Militar, onde ainda é procurado pelos agentes.

A quadrilha em ondestão é responsável por assassinatos e crimes relacionados à disputa pelos pertences de Maninho. A operação da polícia cumpre 8 mandados de prisão e 11 de busca e apreensão.

O primeiro inquérito contra a quadrilha foi instaurado para investigar quatro tentativas de homicídio ocorridas em maio de 2008.

As investigações apontaram onde a disputa pelo patrimônio de Maninho e o controle da máfia do jogo do bicho e das máquinas caça-ní ondeis no Estado, estavam por trás dos crimes.

Dentre os assassinatos cometidos, de 2007 a 2009, estão do vice-presidente da escola de Samba Acadêmicos do Salgueiro e a mulher (em 2007) e José Luiz de Barros Lopes, o Zé Personal (marido de uma das filhas de Maninho na época).

A operação é um trabalho conjunto da Subsecretaria de Inteligência da Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSINTE), Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (Draco) e Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *