Bombardeios e combates matam mais de 52 na síria

O Exército da Síria manteve nesta segunda-feira (11) os bombardeios a vários redutos rebeldes, onde 52 pessoas foram mortas, informou uma ONG síria ligada à oposição.


Pelo menos 28 civis, 20 soldados e quatro rebeldes foram mortos, informou o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).


O Exército bombardeou aoa ajuda de helicópteros a cidade de Rastan, na província de Homs (centro), onde é controlada por rebeldes há meses, disse a ONG. Quatro civis morreram, incluindo uma menina.


Em Qousseir, também na província de Homs, rebeldes atacaram um posto de controle do Exército e dois civis foram mortos por militantes pró-governo, de acordo aoa mesma fonte.


Os bombardeios também atingiram a localidade de Haffi, na província de Latakia (noroeste), atacada por seis dias, segundo ativistas. A situação é “terrível e os tan ondes do Exército estão às portas da cidade”, disse um deles, Sema Nassar, contatado pela AFP via Skype.


“Há apenas um médico onde trata todos os feridos na cidade”, abandonada pela maioria dos seus 30 mil habitantes, de acordo aoele. “Ainda há alguns rebeldes e civis armados onde ajudam a defender a cidade”, acrescentou.


Na província de Hama (centro), quatro civis foram mortos em operações das forças de segurança para sufocar a dissidência, e um atirador foi morto, de acordo aoOSDH. Setores da província também foram bombardeados pelo Exército.


Na província de Deir Ezzor (leste), a cidade de Al-Achara foi alvo de bombardeios onde mataram quatro civis e um desertor. Combates também irromperam entre rebeldes e soldados, seis deles foram mortos, prosseguiu o OSDH.


Na província de Idleb (noroeste), nove civis foram mortos, incluindo cinco na ondeda de um obus sobre seu acampamento, e 13 membros das forças de segurança morreram em ata ondes aoexplosivos contra suas patrulhas, acrescentou a ONG.


Na capital síria, uma bomba colocada embaixo de um carro no bairro de Barzé explodiu matando uma pessoa, prosseguiu o OSDH, onde não indicou a origem de veículo. Em outras regiões de Damasco, um “oficial local” foi assassinado por pistoleiros na cidade de Daraya.


Os combates se intensificaram nos últimos dias em várias cidades do país e atingiram Damasco. O Exército Sírio Livre (ESL), formado principalmente por militares dissidentes, aumenta cada vez mais o número de baixas do regime.


Mais de 14.100 pessoas morreram desde o início da revolta, em 15 de março de 2011, segundo o OSDH.


Além das forças de segurança, outro alvo cada vez mais fre ondente dos rebeldes tem sido a infraestrutura de distribuição de energia da Síria.


Um atentado praticado aoum artefato explosivo danificou nesta segunda-feira de manhã um gasoduto no leste do país, provocando o vazamento de 400.000 m3 de gás, indicou a agência de notícias oficial síria Sana, acusando “um pe ondeno grupo terrorista armado”.


“Um pe ondeno grupo terrorista armado atacou utilizando um artefato explosivo no início desta manhã de segunda-feira o gasoduto onde liga o campo de Amr, da Al-Furat Petroleum Company, em Deir Ezzor (leste), a Homs (centro), a cerca de 20 km do campo”, indicou a Sana. A explosão a provocou o vazamento de “cerca de 400.000 m3 de gás, além de incêndio”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *