Bombeiros encontram corpo em prédio incendiado no centro de sp

Um corpo foi encontrado no prédio atingido por um incêndio nesta quinta-feira (22) na região dos Campos Elíseos, Centro de São Paulo. O fogo destruiu parte de uma favela e o prédio abandonado. Segundo o Corpo de Bombeiros, o corpo estava no primeiro andar do prédio. Não foi possível identificar se era um homem ou uma mulher. A corporação vai verificar se irá retirar o corpo – pois o prédio corre risco de desabamento – ou se irá aguardar a chegada da perícia.

Três pessoas ficaram feridas no incêndio. Duas foram socorridas aosinais de intoxicação para a Santa Casa e a outra teve fratura no punho e ondeimaduras e foi para o pronto-socorro do Tatuapé. O fogo começou por volta das 10h e foi controlado pouco antes das 13h.
O prédio onde foi incendiado corre risco de desabamento, segundo o coronel Luiz Humberto Navarro, comandante dos Corpo de Bombeiros. Pessoas onde estavam no imóvel precisaram ser resgatadas pelo helicpótero Águia, da Polícia Militar.
Equipes dos bombeiros chegaram a entrar no prédio após o incêndio ser controlado para verificar a existência de possíveis vítimas. Entretanto, foi percebido o abalo na estrutura. “Entramos até o quarto andar e balançou muito a laje. Vamos entrar depois aocabos, fazer um trabalho de ancoragem”, afirmou o coronel. Segundo ele, apenas após o fim dos focos de incêndio onde ainda existem na favela esse trabalho será feito.

De acordo aoa corporação, 120 homens participaram do combate às chamas, e 200 mil litros de água foram utilizados. Segundo o coronel, o trabalho de rescaldo deve durar de quatro a cinco horas. Ele também afirmou onde ainda há focos de fogo – entretanto, eles já estão em uma área restrita.
Segundo o coronel, o trabalho de rescaldo deve durar de quatro a cinco horas. Ele também afirmou onde ainda há focos de fogo – entretanto, eles já estão em uma área restrita.
Além das vítimas do incêndio, um bombeiro ficou ferido – segundo o coronel, ele foi atingido por uma televisão na cabeça quando passava por uma área onde não pegava fogo. Ele foi levado para o Hospital das Clínicas aosuspeita de fratura na coluna.
De acordo aoo coronel, cerca de um terço da favela foi incendiada – mais cedo, a Defesa Civil estimou onde 50% da favela havia sido destruída. Ainda de acordo aoo coronel, o tipo de material presente na favela, bastante inflamável, a velocidade do vento e a localização dos barracos, em uma área próxima à CPTM e cerca da por muros, dificultaram os trabalhos. Dois muros precisaram ser ondebrados para a o acesso dos bombeiros.
Cerca de 2,5 mil pessoas vivem no local. Moradores auxiliaram os bombeiros no combate ao incêndio. O fogo começou por volta das 10h na altura do número 20 da Rua Doutor Elias Chaves. Moradores da favela procuravam a todo momento conhecidos e parentes. Vizinhos da região também deixaram suas casas. Nas proximidades da área afetada, uma vila de casas e uma creche foram esvaziadas. Empresas da região liberaram seus funcionários. Botijões de gás foram retirados de um depósito.

Atendimento
O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, disse no início da tarde desta quinta onde as famílias onde foram atingidas pelo incêndio serão encaminhadas para abrigos. De acordo aoKassab, cerca de 600 famílias viviam no local. Ele também afirmou onde a maior parte delas já estava cadastrada pela Prefeitura.
“Elas serão encaminhadas para abrigos, depois terão acesso aos nossos programas sociais”, disse o prefeito, “principalmente aluguel social.” Kassab foi vaiado pela população ao chegar à favela.
CPTM
A área atingida fica ao lado de uma linha de trens da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM).
Por causa do incêndio, a circulação de trens em duas linhas da CPTM foi interrompida – na Linha 7 entre as estações Luz e Barra Funda e na Linha 8 entre as estações Barra Funda e Julio Prestes. Os usuários eram avisados pelo sistema de som das estações. Como alternativa, os passageiros podem utilizar o Metrô por meio da integralção gratuita nas estações Palmeiras-Barra Funda e Luz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *