Caminhão derruba passarela na imigrantes

Um caminhão caçamba bateu e derrubou, por volta das 9h20m, parte de uma passarela localizada na altura do km 12 da Rodovia dos Imigrantes, na região da capital paulista. O acidente aconteceu na pista sentido São Paulo, mas a Ecovias, que administra a rodovia, bloqueou também a Imigrantes no sentido litoral por medida de prevenção. A pista no sentido da Baixada Santista foi liberada às 9h57. A liberação da pista norte só ocorreu por volta das 14h. A parte da passarela atingida pela caçamba caiu sobre um veículo e duas pessoas que estavam num carro da empresa Makita foram atingidas. Uma delas morreu após ser levada pelo helicóptero Águia da Polícia Militar ao Hospital da Clínicas. A vítima era um executivo japonês que visitava a filial da Makita. O nome dele ainda não foi divulgado. O motorista que causou o acidente foi detido e indiciado por homicídio culposo, quando não há intenção de matar.


A outra vítima, identificada como Daniel Ronaldo Caçador, de 36 anos, sofreu múltiplas fraturas e traumatismo de tórax. Caçador foi encaminhado pelo Resgate ao Hospital Municipal de Diadema, na Grande São Paulo. De acordo com a prefeitura de Diadema, o estado de Caçador é estável e ele está consciente. Parentes estão no hospital para acompanhar a remoção dele para um hospital particular de São Paulo. A Makita ainda não se pronunciou sobre o acidente.


Segundo Eduardo di Gregório, gerente de operações da Ecovias, a caçamba do caminhão subiu quando ele passava sob a estrutura, e carregou a passarela. Segundo o gerente, a estrutura não estava comprometida e o acidente foi pontual. De acordo com a Polícia Rodoviária, a caçamba do caminhão já estava erguida quando ele passou sob a passarela e algumas pessoas tentaram avisar o motorista.


A passarela pesa 70 toneladas e tem comprimento de 25 metros. Ela foi seccionada em três partes para ser retirada da pista. A altura no local onde houve o choque é de 5,70m, vinte centímetros acima do exigido. Cerca de 50 pessoas estiveram envolvidas na operação para retirada da passarela, entre engenheiros, operadores de tráfego e operacionais. Foram mobilizados três retro-escavadeiras com marteletes hidráulicos, maçaricos, caminhões-munck, dois guindastes (um para 90 toneladas e outro para 50 toneladas) e três carretas-prancha.


Em avaliação preliminar, foi constatado que as demais seções da passarela não sofreram danos. Os engenheiros e técnicos da Ecovias vão fazer um laudo técnico mais detalhado sobre a estrutura da passarela e também trabalham no projeto para reconstrução do trecho danificado.


O trânsito, em direção à capital, chegou a 8 quilômetros e por volta de 11h30 já havia caído para 4 quilômetros, porque muita gente saiu pela pista no sentido contrário para acessar a Anchieta. A concessionária Ecovias montou um desvio no km 14, sentido capital.


A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) interditou o acesso da Avenida dos Bandeirantes à Imigrantes, no sentido litoral, por causa do acidente. Também há congestionamento de mais de 1km nesse sentido por causa da curiosidade dos motoristas.


De acordo com a CET, todos os veículos oriundos da Avenida dos Bandeirantes foram sendo direcionados para a Avenida Tancredo Neves e acesso à Rodovia Anchieta. O acesso para a Imigrantes foi feito pela Marginal Pinheiros, Ponte do Morumbi, Avenida Roque Petroni Júnior, Avenida Vicente Rao, Avenida Vereador João de Luca e Avenida Cupecê, acessando a rodovia por Diadema.

Passarela ficou escorada em caminhão na Dutra

Em outubro de 2006, o motorista de um caminhão que seguia da capital para Taubaté, após um excesso de tosse, perdeu o controle do veículo, que arrastou um guardrail e só foi parar após bater na pilastra de uma passarela próxima ao Shopping Internacional, na altura do Km 225 da Via Dutra, em Guarulhos.Naquela ocasião, a estrutura só não caiu porque ficou escorada no próprio caminhão, que não estava carregado no momento do acidente.


A pista sentido Rio de Janeiro da Via Dutra ficou totalmente interditada por conta do risco de desabamento. As obras para recuperação da estrutura levaram mais de um mês e causaram interdição parcial da rodovia.

Recomendados Para Você:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *