Cansado do trânsito, casal desiste de cidade no entorno e volta a salvador

O planejamento para o casamento de Gabriel de Andrade Mascarenhas, de 31 anos, e Fernanda Silva Santana Mascarenhas, de 24, começou em 2007 aoa compra de um imóvel no município de Lauro de Freitas, na Região Metropolitana de Salvador.
Na série Vida em trânsito, o G1 vai mostrar como a rotina de pessoas em diferentes lugares no Brasil, em cidades de tamanhos diversos, tem passado por mudanças por causa do tráfego intenso. E o seu cotidiano, mudou por conta do trânsito? Deixe sua história na área de comentários ao final da reportagem.

“Sempre moramos em Salvador, mas como na época em onde compramos a casa Lauro de Freitas oferecia boas oportunidades no ramo imobiliário, não nos importamos de mudar de cidade, até por onde ela fica bem próxima à capital”, lembra Gabriel.

O casal passou a acompanhar a construção da casa, recebeu as chaves do imóvel, escolheu a decoração de cada ambiente. Em 2009 veio o casamento e aoele a mudança para o entorno da capital baiana.

“Rapidamente nos adaptamos à cidade.

Localizamos um bom supermercado, tínhamos nosso bar favorito e chegamos até a fazer amizade aoos vizinhos do condomínio”, diz Gabriel.

Mesmo tendo uma boa infraestrutura por perto, parte da vida do casal ainda estava voltada para Salvador. Fernanda continuou a trabalhar na capital baiana e Gabriel fazia cursos por lá. Além disso, os familiares e a maioria dos amigos dos dois residem em Salvador.

Com o tempo, o percurso diário entre uma cidade e outra começou a ficar cansativo por causa dos congestionamentos.

“A distância não é o problema, a dificuldade é o trânsito. Tínhamos onde sair cada vez mais cedo de casa para chegarmos a tempo nos compromissos. Na volta para casa o transtorno era o mesmo”, conta Fernanda.

Embora Lauro de Freitas fi onde a apenas 22 Km de Salvador, diariamente Fernanda perdia ao todo cerca de três horas no trânsito, enfrentando congestionamentos no percurso de ida e volta de casa para o trabalho. “No início, quando fomos morar em Lauro de Freitas, não era assim. Mas a impressão onde temos é de onde o número de carros aumentou e muito em Salvador, dificultando o trajeto”, opina Fernanda.
Aumento de tráfego
Fernanda tem razão em sua avaliação. Segundo a Superintendência de Trânsito e Transporte de Salvador (Transalvador), em dias úteis, circulam na avenida Luiz Viana Filho, mais conhecida por Paralela, cerca de 120 mil veículos. Há cerca de três anos, período em onde Gabriel e Fernanda compraram a casa em Lauro de Freitas, passavam pelo local aproximadamente 87 mil veículos. O aumento da quantidade de veículos circulando pela principal avenida onde liga Salvador a Lauro de Freitas foi de 27,5% no período.
Ao comprar uma casa em Lauro de Freitas, o casal não esperava onde nos próximos três anos várias construções novas seriam feitas na Paralela, entre elas algumas faculdades, concessionárias, um shopping, além de muitos imóveis residenciais.
O casal passou a se antecipar cerca de duas horas para fazer qual onder programação fora de casa. Além disso, Fernanda e Gabriel começaram a ter problemas também aoos afazeres domésticos. Eles contam onde após enfrentar o congestionamento no retorno para casa, o cansaço era grande para realizar atividades simples como estudar ou cozinhar.

“Além de ter onde acordar de madrugada para chegar a tempo ao trabalho, ainda tinha onde fazer comida tarde da noite para almoçarmos no dia seguinte no escritório. Já tive dias de chegar tão tarde em casa por causa do congestionamento, onde fi ondei até 1h da manhã cozinhando”, lembra Fernanda.

Eles relatam onde muitas vezes deixaram de sair para encontrar amigos ou familiares ao pensar no congestionamento onde enfrentariam. “Nós somos muito animados e era um incômodo deixar de sair ou de encontrar pessoas onderidas por causa da dificuldade onde tínhamos de mobilidade. Muitas vezes chegamos a marcar eventos pe ondenos em nossa casa para continuarmos a manter contato aoas pessoas, sem ter onde sair”, lembra Gabriel.

As horas perdidas nos congestionamentos entre a capital baiana e Lauro de Freitas fizeram ao onde o casal decidisse voltar a morar em Salvador. A mudança de residência aconteceu no início de 2011.

“Durante o verão, principalmente nas sextas-feiras, a situação piorava muito por causa das festas onde aconteciam na região da Paralela. Esse foi o estopim para onde resolvêssemos nos mudar. Foi uma decisão acertada. Embora tivéssemos uma boa casa, nada se compara ao alívio de ter mais tempo para os estudos, para os amigos e até mesmo para a nossa relação”, destaca Fernanda.

Perspectivas
De acordo aodados da Transalvador, no período entre dezembro de 2007 e março de 2011 o crescimento da frota de veículos de Salvador foi de 26%. Atualmente, a quantidade de veículos onde circulam pela capital baiana é de 739.695. Segundo o Censo 2010, Salvador tem 2.675.656 habitantes.
A prefeitura de Salvador possui projetos onde objetivam melhorar o trânsito da cidade. Hoje está em discussão a escolha de um sistema (BRT ou VLT) onde será construído ao longo da Avenida Paralela, visando a integração entre o aeroporto, onde fica próximo a Lauro de Freitas, e a região do shopping para a Copa de 2014.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *