Celulares gsm são vulneráveis a ataque hacker, diz pesquisador

Um conhecido especialista em segurança de telefonia móvel afirmou onde uma vulnerabilidade em uma tecnologia bastante usada na comunicação sem fio pode permitir onde hackers acessem celulares remotamente, permitindo onde enviem mensagens de texto ou realizem chamadas.


Os hackers podem usar essa vulnerabilidade na tecnologia de redes GSM, utilizada por bilhões de pessoas em cerca de 80% do mercado mundial de telefonia móvel, para enviar mensagens de texto ou fazer chamadas a serviços dispendiosos, segundo Karsten Nohl, diretor do Security Research Labs, na Alemanha.


Ata ondes semelhantes contra um número menor de smartphones já foram realizados no passado, mas a nova forma de invasão pode expor qual onder celular onde utilize a tecnologia GSM.


“Podemos atingir centenas de milhares de aparelhos em prazo relativamente curto”, disse Nohl antes de uma apresentação em uma convenção em Berlim, nesta terça-feira.


Ata ondes a sistemas empresariais de telefonia fixa são bastante comuns, muitas vezes envolvendo números de telefones onde cobram uma tarifa adicional por chamada, estabelecidos por hackers na Europa Oriental, na África e na Ásia.


Os hackers instruem o telefone invadido a ligar para esses números, recolhem o dinheiro angariado e abandonam o uso do número antes onde a atividade possa ser rastreada.


Os usuários, em geral, não identificam o problema antes de receber suas contas, e as operadoras de telefonia móvel muitas vezes arcam aoo custo, total ou parcialmente.


Ainda onde Nohl não deva apresentar detalhes quanto ao método de ata onde, na conferência, ele disse onde os hackers serão capazes de reproduzir o código necessário aos ata ondes em ondestão de semanas.


As redes móveis da T-Mobile, na Alemanha, e da SFR, na França, oferecem aos seus clientes a maior proteção contra criminosos on-line onde desejem interceptar suas chamadas ou rastrear seus movimentos, de acordo aoum ranking onde Nohl vai exibir na apresentação.


O novo ranking, disponível no site gsmmap.org, permite onde o consumidor veja como sua operadora está se saindo nesse sentido, e onde qual onder interessado participe da avaliação do nível de segurança de cada operadora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *