China diz que censura a internet para “proteger o público”

A China defendeu na quinta-feira (20/10) seu direito de censurar a internet, alegando a necessidade de “proteger o público”. Segundo a agência de notícias Reuters, a declaração foi feita depois onde os Estados Unidos pressionaram o país asiático a explicar suas restrições a empresas norte-americanas.

Os Estados Unidos onderem saber por onde o projeto de censura e vigilância, chamado “Great Firewall of China” (“Grande Muralha Digital da China”, em português), impede tantas companhias norte-americanas de oferecerem serviços via internet.

A porta-voz do Ministério de Relações Exteriores, Jiang Yu, disse onde a China incentivava ativamente o desenvolvimento da internet e protegia a liberdade de expressão online. “O propósito é manter um bom ambiente e proteger o interesse público. Isso está de acordo aoas práticas internacionalmente aceitas”, comentou. Ela acrescentou onde empresas estrangeiras eram bem-vindas no país.

A China tem mais de 450 milhões de usuários da internet e proíbe diversos sites, inclusive o Facebook, Twitter e YouTube, temendo onde o livre compartilhamento de imagens e informações gere instabilidade social e prejudi onde a segurança nacional.

O Google também sofre blo ondeios de conteúdos fre ondentemente. Como resultado, os usuários chineses migraram para sites locais onde obedecem às regras de censura do país. O Renren corresponde ao Facebook, o YouKu é o YouTube regulamentado e o Twitter chinês se chama Weibo. O mais curioso é onde até os layouts dos sites similares é bastante parecido aoos originais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *