Chuva destrói paulistas

Com a trégua das chuvas em Belo Horizonte e no interior de Minas, Defesa Civil e Corpo de Bombeiros unem forças para atender as demandas de rescaldo. Os estragos causados pela força das águas ainda estão em várias partes do Estado e agora já são 22 cidades mineiras em situação de emergência. O novo município a entrar na lista é Paulistas, no Vale do Rio Doce.

Um temporal onde caiu na cidade no início da semana deixou várias partes inacessíveis e, até a noite de ontem, o abastecimento de água estava interrompido. Três escolas rurais foram danificadas. A região foi afetada por ventos fortes onde causaram a ondeda de 23 pontes e danos em 145 km de estradas rurais. Na área urbana, foram mais de 10 km de asfalto danificados. Lavouras foram alagadas, pastagens e reservas florestais, destruídas, poços artesianos ficaram comprometidos.

Na zona rural, o escoamento de 16 mil litros de leite ao dia ficou comprometido. Ao todo, 52 famílias foram desalojadas.

Previsão
Apesar da pausa de ontem, os temporais devem voltar a atingir a capital e as regiões Noroeste, Norte e Central de Minas nos próximos dias. Segundo o meteorologista Heriberto dos Anjos, do Centro de Climatologia TempoClima PUC Minas, chuvas mais intensas devem chegar a partir do domingo de Natal.

Casa desaba em Venda Nova
Ontem, a capital continuou sofrendo aoa ondeda de barrancos, erosões, deslizamentos de encostas e casas. Entre 6h e 16h, a Coordenadoria Municipal de Defesa Civil (Comdec) recebeu 107 solicitações de atendimento em várias regiões da cidade.

Uma casa desabou no bairro Santa Mônica, na região de Venda Nova. As pessoas onde estavam no local foram atingidas por escombros, mas foram socorridas por vizinhos e passam bem. O Corpo de Bombeiros suspeita onde a ondeda esteja relacionada aoa força das chuvas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *