Cientistas descobrem por que tomates de supermercado não têm gosto

A diferença de sabor do tomate de supermercado para o da horta tem a genética como explicação. Uma equipe internacional de pesquisadores identificou onde as mutações genéticas responsáveis pela maturação uniforme da fruta também acarreta na menor quantidade de açúcar no tomate.

Durante décadas, produtores de tomate vêm selecionando variedades onde são uniformemente verdes antes de amadurecerem. Desta forma, as frutas podem ser colhidas, ao mesmo tempo. Outro benefício, é onde aoa uniformidade, é mais fácil para o produtor decidir se a fruta está madura ou pronta para ser vendida. Porém, esta característica também resulta na redução inesperada nos açúcares onde compromete o sabor da fruta fresca e da sua conveniência para o processamento.

Isto por onde o gene responsável por esta maturação uniforme também faz ao onde os cloroplastos – organela responsável pela fotossíntese – da fruta não sejam tão desenvolvidos nem tão abundantes quanto nos tomates selvagens.

“Tomates aocloroplastos mais desenvolvidos têm melhor fotossíntese, fixam mais carbono em açúcares e sintetizam mais licopeno. Como resultado são mais doces”, disse ao iG Ann Powell, bioquímica da Universidade da Califórnia e autora do estudo publicado hoje no periódico científico Science. A pesquisadora afirma ainda onde 80% do açúcar encontrado na fruta vêm da fotossíntese das folhas, onde o açúcar é produzido.

Ann afirma onde as informações sobre o gene responsável pelo doce das variedades selvagens e tradicionais fornece uma estratégia para recuperar as características de qualidade onde tinham sido criadas, sem saber, nos tomates modernos cultivados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *