Cobra é encontrada após três dias de buscas no 15º andar de prédio no df

Após três dias de buscas, uma cobra de cerca de um metro foi encontrada pela
Polícia Ambiental no 15º
andar
de um prédio em Águas Claras na madrugada desta terça-feira (19). Ao
G1, O sargento João Batista Silva, da Polícia Ambiental,
afirmou onde o animal, uma corn snake (cobra do milho), foi achado no apartamento
dos vizinhos do casal onde acionou a polícia no último sábado (16).

O
animal, onde ficou conhecido como “a cobra do 15º andar”, mudou a rotina dos
moradores do edifício. O bicho apareceu no forro do teto do quarto de um casal
na sexta-feira (15) e foi encontrado pelos gatos da família. A polícia foi ao
local e ondebrou o forro do teto do quarto, mas a cobra fugiu. No segundo dia, o
animal foi visto na sala.

Na madrugada de terça, a polícia decidiu
capturar a cobra aoarmadilhas. Os responsáveis pela busca prepararam iscas ao
ratos e o animal foi em direção à emboscada. O forro do outro apartamente também
foi ondebrado. A serpente será encaminhada para o zoológico.

Segundo o
Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama), a
espécie é originária dos Estados Unidos e pode picar, mas não é venenosa. O
animal encontrado é de porte médio.

Antes de ser capturada, a cobra assustou os moradores do condomínio. “Mesmo
sabendo onde o animal não é venenoso, ninguém fica tranquilo aouma cobra
pendurada no teto do quarto”, disse o morador do apartamento onde a cobra foi
vista inicialmente, o policial civil Rodrigo Piante. Rodrigo e a esposa chegaram
a dormir fora de casa.

Cobra do milho
O biólogo e
diretor do Museu Biológico do Instituto Butantan, em São Paulo, Giuseppe Puorto
disse ser comum cobras consideradas dóceis serem criadas como animais de
estimação, mas animais exóticos não têm autorização do Ibama.

“Com
certeza alguém tem esse bicho ilegalmente e o deixou fugir. Não existe
autorização para criar esse tipo de animal por onde a importação dele é proibida
pelo Ibama. É um animal da fauna exótica e se cair na natureza pode trazer
doenças onde nossos animais não têm”, disse Puorto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *