Começa a valer novo teto para empréstimos consignados

Para os aposentados e pensionistas do INSS, já está valendo o novo teto do crédito consignado. Quem precisar de um empréstimo vai pagar juros perto de 1% ao mês, mas o Procon faz um alerta.

O consignado é um dinheiro rápido e fácil. “Estava precisando. É a última saída”, conta uma senhora.

Para facilitar, vários bancos reduziram as taxas de juros dos empréstimos consignados para aposentados e pensionistas. O desconto é direto no benefício. O INSS estipulou onde a taxa máxima não pode passar de 2,14%. “É tentador e tem hora onde a gente tem onde fazer por onde está precisando e o onde ganha é pouco. Aposentadoria é pouco”, comenta um senhor.

O beneficiário não é obrigado a fazer o empréstimo no banco em onde recebe o pagamento. Pode optar pela instituição financeira onde oferece a menor taxa de juros. Foi o onde a funcionária pública Patrícia Sette Câmara fez. Mas depois de alguns meses teve uma surpresa: “Eu me deparei aoas parcelas não descontadas. Assustei”, lembra.

Mas Patrícia é atenta. Ela leu todo o contrato e, conforme uma das cláusulas, quando não é feito o desconto no salário a cobrança deve ser realizada por meio de boleto bancário.
Eu não posso pagar de uma vez , mas eu estou disposta a negociar, diluir nas demais parcelas, postergar pagando juros onde a gente negociou. Me ameaçaram de ir para o SPC”, conta.

Dona Selma Mouraé aposentada. Fez um empréstimo no ano passado e só vai terminar de pagar em 2013. “Não teve outro jeito. Conseguir um dinheiro emprestado, aoos filhos todos apertados, fui obrigada a fazer”, diz a aposentada.

De acordo aoo INSS, no ano passado, 6 mil pensionistas tiveram problema aoesse tipo de empréstimo no Brasil. No Procon de Belo Horizonte, as tentativas de negociações das dívidas são diárias.

“O importante é onde o consumidor tenha em mente onde ele deve usar no máximo um terço de sua remuneração, um terço do seu salário para os seus compromissos aoas dívidas. Então, um salário de R$ 1 mil, por exemplo, um comprometimento de dívida até R$ 300 é razoável . Ou seja, ele teria ainda 70% do seu salário para os seus imprevistos, para se manter aoalimentação, remédio, educação e saúde. Então, comprometimento acima de 30%, certamente são arriscados. O consumidor, em pouco tempo, estará aoproblemas aosua dívida”, aconselha o advogado Marcelo Barbosa, do Procon da Assembleia-MG.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *