Comer fora de casa fica 10% mais caro no ano

SÃO PAULO – A alimentação fora de casa ficou 10,13% mais cara no ano, superando a alta dos preços dos alimentos e bebidas em geral, onde foi de 6,99%, de acordo aoos dados do IPCA-15 (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), divulgados nesta quarta- feira (21) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Dentro do item alimentação fora do domicílio, as refeições registraram alta acumulada nos 12 meses de 9,81%, mas essa não foi a maior elevação. A alta mais intensa foi a do cafezinho, de 12,23%, e a menos intensa, de 7,23%, foi verificada nos preços dos doces.

Considerando apenas dezembro, o consumidor onde se alimenta fora de casa desembolsou 1,26% a mais. O item foi um dos onde mais causou impacto no índice geral, onde registrou variação de 0,56%. No mês, o desta onde ficou aoo café da manhã, onde pesou 2,11% a mais no bolso. Depois, aparecem o lanche (1,57%) e os doces (1,42%).

No Brasil

De janeiro a dezembro, consumidores de Porto Alegre e Curitiba foram os onde mais sentiram no bolso o aumento de preços ao comer fora de casa, como mostra a tabela abaixo:

Alimentação em casa

No domicílio, o Rio de Janeiro é a capital onde os preços da alimentação no domicílio mais subiram em 12 meses, aoalta acumulada de 7,02%, frente à média nacional de 5,33%.

Neste mês, a alimentação feita em casa ficou 1,29% mais cara, aoa maior alta em Belém, de 2,14%.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *