Comissão vai solicitar quebra de sigilo de suspeitos às operadoras de telefonia

CPI da Pedofilia quer identificar 805 usuários do Orkut
Comissão vai solicitar quebra de sigilo desses suspeitos às operadoras de telefonia.
Usuários mantinham álbuns de fotos no site.

A CPI da Pedofilia aprovou em sessão nesta quarta-feira (4) um requerimento que solicita às operadoras de telefonia a quebra de sigilo de 805 usuários do site de relacionamentos Orkut, do Google, informou a Agência Senado.

A comissão chegou aos 805 internautas do Orkut depois que técnicos da CPI e da Polícia Federal analisaram o material encaminhado pelo Google, referente a 3.261 álbuns trancados nessa rede social. Agora, com o fornecimento de informações das operadoras de telefonia, será possível identificar o contratante do serviço de internet que permitiu a publicação de conteúdo criminoso.

A Brasil Telecom disse não ter recebido nenhum ofício da CPI, mas afirmou que a solicitação será atendida quando entregue. A CTBC e a GVT seguem essa mesma linha, dizendo que repassarão os dados, se eles forem solicitados. A Oi afirmou que colabora com todas as “investigações de segurança pública, dentro do que determina a lei”. A assessoria de imprensa da Telefônica também disse que esse tipo de informação é repassada quando a Justiça determina.

No dia 23 de abril, o Google entregou à CPI as imagens dos álbuns trancados e também os logs dos internautas que postaram essas fotos. Os logs incluem número IP (para identificar o computador do internauta), e-mail associado ao perfil do Orkut, data de criação da conta e histórico de acessos do usuário a esse site.

Sala de bate-papo

Também na sessão desta quarta-feira (4), segundo a Agência Senado, a CPI da Pedofilia definiu que vai solicitar ao provedor de internet UOL o conteúdo de diálogos e registros de acesso dos usuários de uma sala de bate-papo usada por suspeitos de pedofilia.

O objetivo é identificar 600 internautas que navegaram por lá. O senador Magno Malta (PR-ES), presidente da CPI, afirmou ao G1 que, quando a quebra de sigilo for efetuada, as informações dos suspeitos do Orkut serão cruzadas com os dados daqueles que freqüentaram o chat do UOL.

Em comunicado, o UOL afirma dispor de “mecanismos de tolerância zero contra pedofilia e demais crimes que possam ser praticados pela internet”. O provedor informou, por meio de sua assessoria, não ter recebido nenhum requerimento da quebra de sigilo de internautas. No entanto, assim como as operadoras de telefonia, a empresa de internet afirmou que atenderá a esse pedido quando recebê-lo, para contribuir com as investigações.

Recomendados Para Você:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *