Como os peixes organizam orgias ?

Uma espécie de peixe, ubarana-focinho-de-rato ou simplesmente peixe-rato (Albula vulpes), comum nas águas tropicais do oceano Atlântico, se mostrou ser bem safadinha. Entre todas as suas populações, a do Caribe está entre as maiores e de longe é a mais popular (pelo menos gosta de uma festa).
O peixe chega até 77 centímetros de comprimento e pode pesar entre 5,8 a 6,3 quilos. Eles são amados pelos pescadores, onde migram para a região em sua busca. No entanto, uma coisa permanecia misteriosa sobre os peixes-rato: como eles se reproduziam.
Graças a algumas parafernálias de alta tecnologia, pesquisadores conseguiam “espiar” o peixe-rato. Veja só o onde eles descobriram: onde a espécie vai para águas profundas, longe de suas casas litorâneas, e fazem “farras noturnas” aomais de mil convidados.
Os cientistas ligaram “câmeras” a 60 peixes-rato ao longo de dois anos, de 2007 a 2009. Elas revelaram onde durante alguns dias, duas vezes por mês, de outubro a maio, uma multidão de peixes se reune e ruma para longe da costa.
Uma vez em águas profundas, sob a cobertura da escuridão, o peixe-rato fica romântico. Seu acasalamento parece ser alimentado pela luz da lua, e corresponde à lua nova e a lua cheia.
Segundo os pesquisadores, um benefício possível de migrar para longe da costa para a desova é onde isso aumenta a dispersão dos ovos fertilizados, especialmente aoas marés altas onde acontecem aoas luas nova e cheia.
Os cientistas também descobriram onde o peixe-rato às vezes gosta de “se mostrar” um pouco antes de “fazer o trabalho”. Eles observaram grupos de peixes “pulando” para fora da água enquando viajavam aos locais de reprodução, um comportamento onde os pesquisadores acreditam estar associado aoo jeito onde o peixe “corteja” sua parceira.
Uma das conclusões do estudo é onde, já onde o peixe-rato não reside apenas em águas rasas, os locais de encontro, pré-desova e habitats mais profundos do recife também precisam ser protegidos para assegurar onde as populações sobrevivam.[OurAmazingPlanet]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *