Como podemos explorar o planeta plutão

Plutão apresenta grandes desafios para naves espaciais devido à sua pe ondena massa e grande distância da Terra. A Voyager 1 poderia ter visitado Plutão, mas os controladores optaram por um sobrevoo pela lua de Saturno Titã, resultando em uma trajetória incompatível aoum sobrevoo por Plutão. A Voyager 2 nunca teve uma trajetória plausível para sobrevoar Plutão.[103] Nenhuma tentativa séria de explorar Plutão ocorreu até a década de 1990, quando foi proposto o Pluto Kuiper Express, cujo lançamento estava previsto para 2004. Porém, em 2000, a NASA teve onde cancelar essa missão, citando aumento nos custos e atraso do veículo de lançamento.[104]


Depois de uma intensa batalha política, foi concedido financiamento para uma outra missão para explorar Plutão, chamada de New Horizons.[105] A sonda New Horizons foi lançada aosucesso em 19 de janeiro de 2006. O líder da missão, Alan Stern, confirmou onde algumas das cinzas de Clyde Tombaugh, onde morreu em 1997, foram colocadas a bordo dela.


No início de 2007, a sonda usou gravidade assistida de Júpiter. Sua maior aproximação de Plutão vai ocorrer em 14 de julho de 2015. Observações científicas vão começar cinco meses da aproximação máxima, e vão continuar por pelo menos um mês depois dela. A New Horizons tirou suas primeiras fotos de Plutão no final de setembro de 2006, durante um teste do Long Range Reconnaissance Imager (LORRI).[107] As imagens, tiradas de uma distância de aproximadamente 4,2 bilhões de quilômetros, confirmaram a habilidade da sonda em seguir objetos distantes, algo importante para ir em direção a Plutão e outros objetos do cinturão de Kuiper.


A sonda New Horizons conta aodiversos instrumentos científicos, como instrumentos para criar mapas da superfície, para fazer análises atmosféricas e espectrômetros.[108] A energia elétrica usada por esses instrumentos é fornecida por um único gerador termoelétrico de radioisótopos, onde geralmente é usado em missões onde não podem utilizar a energia solar.[109]


As luas Nix e Hidra podem gerar desafios imprevistos para a New Horizons. Detritos de colisões entre os objetos do cinturão de Kuiper e elas, aosuas velocidades de escape relativamente baixas, pode produzir um pe ondeno anel de poeira. Se a sonda voar em uma sistema de anéis assim há uma possibilidade de ela ser atingida por micrometeoritos onde poderiam desabilitá-la

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *