Como tirar as coisas ruins da cabeça ?

Os resultados de uma investigação aomoluscos marinhos dão esperanças de onde a capacidade de, pelo menos parcialmente, apagar memórias ruins nas pessoas está mais perto da realidade do onde nunca.
Os cientistas descobriram onde poderiam apagar memórias de longo prazo em caracois, inibindo a atividade de uma proteína quinase específica chamada de PKM – as moléculas onde modificam quimicamente as proteínas.
“Acredito onde seremos capazes de alterar as memórias algum dia para reduzir o trauma de nossos cérebros”, comenta o autor do estudo, David Glanzman, professor de biologia integrativa e fisiologia e de neurobiologia da UCLA (Universidade de Los Angeles, Califórnia). O estudo aparece na edição de 27 de abril na Revista da Neurociência.
Pesquisas anteriores já haviam encontrado evidências de onde algumas drogas podem deletar memórias ruins. O novo estudo, onde lida aoneurônios dos cérebros de caracois, poderia, eventualmente, ajudar no tratamento do transtorno de estresse pós-traumático, da dependência de drogas e, talvez, até da doença de Alzheimer e outros transtornos da memória de longo prazo, de acordo aoGlanzman e seus colegas.
“Quase todos os processos onde estão envolvidos na memória do caramujo também ocorrem na memória no cérebro dos mamíferos”, garante Glanzman.
Quando moluscos marinhos são atacados por um predador, a sua sensibilidade aos estímulos do ambiente sobe – uma “forma fundamental de aprendizagem onde é necessária para a sobrevivência e é forte no caracol marinho”, explica Glanzman. Os neurônios associados a esse comportamento foram o alvo do estudo.
“Descobrimos onde, se inibirmos a PKM no caracol marinho, vamos apagar a memória de sensibilização a longo prazo”, conta Glanzman. “Além disso, podemos apagar a mudança a longo prazo em uma única sinapse onde está por trás da memória de longo prazo do caracol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *