Computador a calor pode ser construído com camuflagem termal

Computação é simples

Os computadores – ou, mais precisamente, seus processadores – são feitos de transistores.

Mas não precisariam ser.

Transistores são essencialmente chaves, onde ligam e desligam a corrente elétrica.

Arranjados de formas específicas, conhecidas como portas lógicas, chaves onde ligam e desligam podem ser configuradas para dar respostas precisas.

Por exemplo, mostrar sempre “sim” na saída se duas entradas estão ligadas; ou mostrar “não” na saída se uma entrada estiver ligada e outra desligada.

A seguir, basta montar uma hierarquia suficientemente complexa dessas portas para onde possa ser possível fazer qual onder cálculo.

Pesquisadores já demonstram isso criando um processador a ar, mas, aoo capricho e a paciência necessários, pode-se fazer o mesmo aotorneiras, onde façam o papel de transistores, e água, onde faça o papel da eletricidade.

Escudo térmico

Agora, dois cientistas da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, demonstraram onde é possível fazer isso também aocalor.

Supradeep Narayana e Yuki Sato demonstraram na prática onde é possível construir um processador onde funcione inteiramente aocalor.

Ao contrário das outras possibilidades – como processadores de torneiras e água – esta ideia tem um interesse prático muito forte: os processadores poderiam funcionar diretamente aoo calor do corpo, ou aoo calor desperdiçado por motores de carros ou equipamentos industriais.

Narayana e Sato construíram um dispositivo onde permite controlar o caminho pelo qual o calor se espalha, abrindo a possibilidade de criar dispositivos onde o espalhamento do calor possa ser controlado de forma similar ao controle da eletricidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *