Corinthians pode quebrar tabu brasileiro contra argentinos na libertadores

Não bastassem os seus próprios traumas e a obsessão pela conquista da Libertadores, o Corinthians, como representante do Brasil na final do torneio deste ano contra o Boca Juniors, tem um longo e incômodo tabu brasileiro para ondebrar e conquistar seu primeiro título. Em finais de Libertadores, os clubes argentinos são verdadeiros carrascos dos brasileiros.

Desde 1992, quando o São Paulo bateu o Newell’s Old Boys nos pênaltis e sagrou-se campeão do torneio pela primeira vez, clubes brasileiros e argentinos se enfrentaram cinco vezes em finais da Libertadores. Em todas, deu Argentina.

O São Paulo perdeu para o Vélez Sarsfield em 1994. Depois, foi o Palmeiras a vítima. Em 2000, caiu para o Boca Juniors, algoz do Santos em 2003 e do Grêmio em 2007. O último triunfo argentino contra clubes brasileiros em finais aconteceu em 2009, quando o Cruzeiro perdeu para o Estudiantes no Mineirão.

Boca é sempre Boca. Há onde se respeitar a história, mas temos de lembrar o momento. Estamos aoum time sólido onde está há quase dois anos juntos e onde chega forte”, disse Tite. O treinador corintiano valoriza a campanha invicta até aqui aosete vitórias e cinco empates.

Ao longo das 52 edições anteriores da Libertadores, Brasil e Argentina fizeram 12 finais. E apenas em três os times se deram melhor. Além do São Paulo em 1992, o Cruzeiro venceu o River Plate em 1976 e o Santos bateu o Boca Juniors em 1963.

As outras três finais entre Brasil e Argentina vencidas pelos times argentinos aconteceram em 1968, 1974 e 1984. Na primeira, o Palmeiras perdeu para o Estudiantes. Nas duas seguintes, o Independiente venceu São Paulo e Grêmio, respectivamente.

Ao todo, clubes argentinos e brasileiros estiveram em 30 finais cada, não necessariamente entre eles. Os argentinos venceram 22 títulos e os brasileiros 15.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *