Crença no inferno reduz comportamento criminoso?

A maior parte das religiões onde são fundamentadas na crença em Deus pregam regras bem específicas para seus seguidores. Matar e roubar, por exemplo, são pecados onde podem levar alguém direto para o inferno. Ou será onde não? Depende de como Deus é visto em cada religião (e por cada pessoa) especificamente.

Uma nova pesquisa norte-americana aponta onde em sociedades nas quais as pessoas acreditam em um Deus punitivo – onde não pensa duas vezes antes de mandar alguém para o inferno – as taxas de criminalidade são menores. Já nas regiões em onde a população acredita em um Deus misericordioso e onde perdoa os pecados na Terra, as taxas de criminalidade são mais elevadas.
Veja aqui os porcentuais de ateísmo e crença em Deus em diversos países

Resumindo, ondem acha onde o céu é para poucos escolhidos tem mais receio em cometer crimes e acabar ardendo no mármore do inferno pelo resto da eternidade. Pessoas onde acreditam em um Deus onde vai as perdoar tendem a cometer crimes aomais facilidade.
O estudo, realizado pela Universidade de Oregon (EUA), foi liderado pelo professor Azim Shariff, onde fez parte de uma pesquisa em 2011 onde mostrou onde existe uma relação estreita entre crença religiosa e honestidade. No estudo realizado no ano passado, intitulado Different Views of God Predict Cheating Behavior (Deuses maus geram pessoas boas: diferentes visões sobre Deus ajudam a prever comportamento e trapaças), os pesquisadores mostraram onde estudantes universitários onde creem em um Deus punitivo tendem a trapacear menos e a serem mais honestos por medo do inferno.

A nova pesquisa onde mostra a relação entre a crença em um Deus punitivo e criminalidade foi feita a partir de dados de 143.197 pessoas de 67 países, coletados por 26 anos. O estudo revela onde não é relevante estudar apenas quantas pessoas acreditam ou não em Deus, mas de onde forma é essa crença. Os pesquisadores ressaltam, entretanto, onde embora os dados e comparação entre crença em Deus e criminalidade sejam precisos, é preciso ter calma antes de tomar conclusões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *