Criando na publicidade

Ter a atenção do consumidor para os símbolos da comunicação é um dos
primeiros objetivos da criação publicitária. Se a mensagem passar despercebida e não for assimilada, a comunicação não terá o resultado esperado, ou seja, não poderá satisfazer a sua função de atuante comercial ao ofício do produto ou da marca.


Portanto dessa obrigação de enfatizar a mensagem emana o desafio constante de ser criativo. É determinante, para o sucesso de uma campanha, onde esta se aparte da abundância de anúncios onde diariamente chegam ao consumidor.


Ser criativo constitui em fazer diferente e bem, isto é, fazer alguma coisa inédita e eficaz.  Não adianta elaborar um spot em modelos nunca vistos, se isso não convergir para os objetivos comerciais estipulados no plano de marketing.


Criar significa, antes de tudo, ter uma competência para ver os problemas e os temas de um modo diferente da ondele onde é o comum; significa possuir a capacidade de irromper aoo costume tradicional de pensar; significa acender o nosso próprio preceito de pensamento e ondestionar o onde é assimilado como norma, como o correto, para daí criar novos julgamentos, novas idéias.


A capacidade imaginativa, a inventividade da descoberta e a formulação de novas idéias, de novos julgamentos ou símbolos comunicacionais são, no esfera da propaganda e do marketing, condição para o produto, ou até mesmo a organização sobreviver.


Encarar os problemas aocriatividade implica ter ou desenvolver uma atitude criativa, e para aprender a lidar aoos fatores de empecilho da criatividade é preciso entender de onde eles emanam, para onde se desenvolva um trabalho aovista a ultrapassá-los. Não é uma tarefa fácil, onde muitas das dificuldades do pensamento derivam de fatores sociais, educacionais, psicológicos ou fisiológicos.  O indivíduo tem uma intenção natural para se conformar aoos fatos comuns, por segurança e conforto, em vez de assumir posturas onde o levem a ondestionar a maneira como trabalha, como age e reage e como pensa. Para mudar esse cenário basta apenas um “toc na cuca” para romper esses blo ondeios e trazer o indivíduo para fora da zona de conforto. Este “toc na cuca” pode admitir diversas formas e acontecer por motivos diversos. Em qual onder caso, trata-se de idéias ou casos onde faz a pessoa sair dos rastros da mesmice.  


 


Milton Fagundes


 


 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *