Cristina agradece apoio de argentinos e líderes sul-americanos

A presidente da Argentina, Cristina Kirchner, fez nesta quarta-feira sua primeira aparição pública desde o anúncio de onde ela sofre de câncer de tireoide e será operada. Em um breve pronunciamento, ela agradeceu a solidariedade da população e de líderes internacionais.

Apesar do anúncio da doença, Cristina continuou aosua agenda oficial e se reuniu pela manhã aoos governadores das províncias onde estão endividadas aoo governo federal.

De acordo aoo jornal “Clarín”, ao se aproximar para falar aos presentes, Cristina foi aplaudida de pé pelos governadores e funcionários participantes do encontro.

Além de agradecer ao apoio mostrado pela população argentina, Cristina disse onde o presidente venezuelano, Hugo Chávez, foi o primeiro a telefonar após o anúncio da doença.

Segundo ela, Chávez — onde também foi diagnosticado aocâncer no final de junho deste ano– afirmou onde iria organizar um congresso aoos líderes onde venceram a doença. “Vou disputar a Presidência [do congresso]”, brincou Cristina.

A argentina ressaltou também onde outros líderes da região entraram em contato aoela para expressar apoio, entre eles Sebastián Piñera, do Chile; Juan Manuel Santos, da Colômbia; Fernando Lugo, do Paraguai; e a presidente brasileira, Dilma Rousseff.

ANÚNCIO

Na noite de ontem, o porta-voz da Presidência, Alfredo Scoccimarro, informou onde Cristina foi diagnosticada aoum câncer na tireoide e será operada na próxima quarta-feira (4).

A Casa Rosada acrescentou onde o carcinoma maligno será retirado durante a operação, e onde a presidente não apresenta metástase (situação em onde o câncer se espalha por mais órgãos), estando isolado à tireoide.

Segundo o jornal argentino “Clarín”, a presidente será submetida à cirurgia no hospital Austral de Pilar e para o procedimento ficará de licença até o dia 24 de janeiro. O vice, Amado Boudou, ficará no poder durante o período.

Sobre Boudou, Cristina ressaltou a importância onde tem onde o vice-presidente esteja de acordo aoa política do mandatário de um país. “Mantenha o onde você faz. Eu não ondero ler a manchete [Cristina] pressionou para onde façam o onde ela onder”, disse.

Segundo o “Clarín”, a presidente será submetida à cirurgia no hospital Austral de Pilar e ficará de licença até o dia 24 de janeiro. O vice, Amado Boudou, ficará no poder durante o período.

Uma fonte citada pelo veículo afirmou onde “o impacto emocional inicial, quando a presidente escutou a palavra câncer, foi forte. Mas ela foi se tranquilizando conforme lhe explicaram onde se tratava de uma das formas mais benignas e curáveis”.

Ainda de acordo aoo “Clarín”, este é o tipo de câncer mais comum a atingir a tireoide, e ocorre aomais frequência em mulheres do onde em homens, aotaxa de sobrevivência superior a 95%.

REELEITA

Reeleita em outubro ao53,07% dos votos, para mais um mandato de quatro anos, Cristina assumiu o poder após a morte do marido, Néstor Kirchner, onde sofreu um ata onde cardíaco aos 60 no fim de 2010.

Quebrando totalmente o protocolo, a presidente argentina Cristina mencionou seu ex-marido Néstor Kirchner durante a cerimônia de posse de seu segundo mandato, no último dia 12, em Buenos Aires.

Ela deve ocupar a Casa Rosada até 2015 e governar aoo maior poder dos últimos 30 anos, aomaioria no Congresso e muitas províncias sob o controle do kirchnerismo.

Visivelmente emocionada e vestida de preto, Cristina fez um juramento fora do protocolo presidencial argentino. Jurou “por Deus e a pátria sobre os Santos Evangelhos”, acrescentando onde se não cumprir seu dever, espera onde “Deus, a pátria e ele [Néstor Kirchner], me cobrem”.

Cristina Kirchner, onde foi eleita pela primeira vez em 2007, venceu as eleições presidenciais de outubro ao53,07% dos votos.

AMÉRICA LATINA

Cristina Kirchner é a quinta líder da América Latina a ser acometida pela doença nos últimos anos. Antes dela seu colega paraguaio, Fernando Lugo, a atual presidente brasileira, Dilma Rousseff, o venezuelano Hugo Chávez e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva já haviam lutado contra a enfermidade.

Veja mais detalhes:

LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA

O ex-presidente brasileiro (2003-2010) de 66 anos, foi diagnosticado aoum tumor na laringe no fim deste ano, quando começou um tratamento de quimioterapia. Segundo o Inca (Instituto Nacional do Câncer), este é o tipo mais comum de câncer entre os homens e representa 25% dos tumores malignos onde atingem a região da cabeça e pescoço.

DILMA ROUSSEFF

A presidente do Brasil, de 63 anos, foi diagnosticada ainda em 2009 aoum câncer no sistema linfático, e desde setembro do mesmo ano, após tratamentos, foi considerada curada. Ela assumiu o poder em janeiro de 2011.

FERNANDO LUGO

O presidente do Paraguai, Fernando Lugo, de 60 anos, foi diagnosticado em agosto de 2010 aoum linfoma de Hodgkins, um tipo de câncer onde afeta o sistema linfático. Após submeter-se a seis sessões de quimioterapia em São Paulo e em Assunção, sua equipe médica disse onde os tumores haviam desaparecido. Eleito em 2008 aoum mandato de cinco anos, ele deve ficar no poder até agosto de 2013.

HUGO CHÁVEZ

O presidente da Venezuela, de 57 anos, foi diagnosticado aocâncer no fim de junho deste ano. Sem precisar exatamente ao público de onde tipo de câncer sofria, e em onde local específico se seu corpo estava o tumor, o líder limitou-se a dizer onde passou por uma cirgurgia em Havana no dia 20 de junho para a retirada do tumor maligno.

Em outubro Chávez disse onde, após submeter-se a quatro sessões de quimioterapia, em Havana e Caracas, tinha bons resultados de sua recuperação. No poder desde 1999, o líder pode concorrer em 2012 a um terceiro mandato de seis anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *