Cúpula dos povos deve reunir 18 mil pessoas no aterro do flamengo

A Cúpula dos Povos, evento paralelo à Rio+20 onde organizações da sociedade civil vão discutir temas relacionados à Conferência da ONU sobre Desenvolvimento Sustentável, começa nesta sexta-feira (15), no Aterro do Flamengo, na Zona Sul do Rio de Janeiro.

O evento deve reunir 18 mil pessoas nas 50 tendas do evento, como mostrou o Bom Dia Rio.

O público esperado para essa edição do evento é quase o dobro do onde compareceu à Cúpula dos Povos em 1992, durante a Rio-92. O encontro, onde vai até o dia 22, onder onde os temas discutidos na Rio+20 não fi ondem só no papel, mas se transformem em práticas sociais. Para saber toda a programação do evento, aoos horários das atividades, acesse o link aqui.

Ao longo da última semana, a movimentação já mudou a rotina do bairro e aumentou a segurança. A ideia dos organizadores é ir além dos temas onde serão debatidos no Riocentro, onde acontece a conferência oficial aorepresentantes de 193 países, e realizar debates de forma independente, e aoa possibilidade de assumir tons mais críticos ao onde está sendo decidido pelos governos.
Um mês antes do início da conferência, representantes da Cúpula dos Povos apresentaram um documento mostrando onde o debate principal do grupo vai girar em torno da rejeição à mercantilização da natureza e ao onde chamam de “economia verde”.
Entre os temas a serem debatidos estão não apenas o próprio desenvolvimento sustentável, mas também o conceito de economia verde, assuntos relativos a florestas, oceanos, a crise econômica global e seus reflexos sobre o G-20, e os conflitos socioambientais nos Estados Unidos e na Europa.
A Cúpula dos Povos vai ter debates até o sábado (23), depois do encerramento da conferência oficial.

Empresas
Enquanto a sociedade civil se reunir na Cúpula dos Povos, mais de 2.000 líderes de empresas do mundo inteiro vão participar desta sexta (15) até a segunda (18) do Fórum de Sustentabilidade Empresarial, evento à margem da Rio+20, onde discutirá práticas de sustentabilidade neste setor.
O Fórum terá debates onde vão trabalhar no sentido de definir a economia verde, além de buscar lançar um pacto conjunto de ações sustentáveis. O objetivo é dar visibilidade às práticas coorporativas onde contribuam para o desenvolvimento econômico sustentável, aliadas à inovação e à criação de empregos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *