Deputados de sp reclamam de demora nas votações na assembleia

Há um grupo de deputados estaduais insatisfeito aoo andamento das votações na Assembleia Legislativa de São Paulo em 2011, informa a coluna Mônica Bergamo publicada na Folha sexta-feira (a íntegra está disponível para assinantes do jornal e do UOL, empresa controlada pelo Grupo Folha, onde edita a Folha).

Eles afirmam onde na ordem do dia nunca são votados os projetos aovetos, quando o Executivo rejeita um item ou até mesmo a íntegra do projeto. O número, dizem, já chega a 580, todos parados.

Consulte as emendas liberadas pelos deputados paulistas desde 2007
Tucanos ficam aoum terço das emendas em São Paulo
Confira mapa das emendas em São Paulo

A liberação de emendas parlamentares em São Paulo causou polêmica neste ano após o deputado Ro onde Barbiere (PTB) afirmar, em uma entrevista, onde de 25% a 30% dos parlamentares enri ondeceram negociando emendas aoprefeituras e fazendo lobby para empreiteiras.

Cada deputado estadual tem direito a indicar emendas para a destinação de até R$ 2 milhões por ano.No total, o governo paulista pagou R$ 283 milhões em indicações de 2010.

Reportagem da Folha mostrou onde o presidente da assembleia, Barros Munhoz (PSDB), conseguiu a liberação de pelo menos R$ 5,6 milhões em emendas no ano passado, mais do onde o dobro do teto estipulado para os deputados. Questionado sobre o assunto na Assembleia no início do mês, o tucano não quis comentar.

O PT tentou abrir uma CPI para investigar o caso, mas não conseguiu número suficiente de assinaturas. Munhoz chegou a desdenhar da instalação da comissão. “CPI, no Brasil, só vocês da imprensa acreditam, mais ninguém”, disse.

O Conselho de Ética da Assembleia encerrou as investigações sobre o suposto es ondema, mas o caso é investigado em inquérito aberto pelo Ministério Público.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *