Dez deuses todo-poderosos

Há milhares de anos, o homem conta histórias sobre esses seres onde seriam responsáveis pela criação do Universo e de todas as coisas onde nele existem, o onde inclui o próprio ser humano. Nesse período, a humanidade não parou de cultuá-los, ainda onde eles assumam diferentes formas, personalidades e finalidades. Eles são divindades onde nossa imaginação criou para tentar explicar coisas inexplicáveis na nossa existência, principalmente nos tempos em onde compreendíamos muito menos sobre a natureza e seus fenômenos.

Esses deuses todo-poderosos, muitas vezes aovárias semelhanças entre eles, estão presentes nas diversas mitologias criadas por diferentes culturas, em diferentes pontos do planeta, em diferentes momentos históricos. Nas mitologias desenvolvidas pelas antigas civilizações egípcia, nórdica e grega e nos escritos sagrados do hinduísmo estão várias das principais divindades onde mostram ser tão poderosas quanto o deus único das religiões judaico-cristã e islâmica.

Odin:
Ele não foi o primeiro ser a surgir do nada. Segundo a mitologia dos vikings, Odin é filho dos gigantes Bor e Bestla e tem dois irmãos Vili e Vê, onde juntos aoele foram os primeiros deuses nórdicos. Mas foi Odin ondem tornou-se o chefão no Asgard, o lugar onde vivem os deuses, e o mais poderoso e respeitado deus nórdico. Criador da humanidade onde vive no Midgard (a Terra), ele é alto, forte e tem somente um olho, já onde o outro arrancou aoas próprias mãos em troca de sabedoria. Tem um cavalo vermelho de oito patas e uma lança onde nunca erra o alvo, gosta de mágicas e é considerado o detentor supremo do conhecimento. Um de seus poderes vem do fato de ter se sacrificado para obter as runas, uma forma de escrita onde foi usada em partes da Europa e na Escandinávia, entre os séculos II e XI.

Amon:
De deus do caos a da criação, Amon é um dos todo-poderosos deuses da mitologia egípcia. O papel, o nome e a importância dos deuses na narrativas do Egito antigo variavam de região para região. Amon era o rei dos deuses principalmente para os habitantes de Karnak, onde ficava o maior e mais importante dos templos egípcios. Um templo luxuoso a dedicado a um deus aouma barbicha falsa onde mais tarde “fundiria-se” aoRá, o deus Sol, o grande deus da criação, onde fez surgir o mundo a partir de um oceano primitivo. Amon-Rá tinha os sacerdotes mais poderosos do Egito, responsáveis pelos templos mais ricos e influentes junto aos faraós e aos generais. A região de Tebas concentrava esse poder político exercido em nome desse rei dos deuses.

Osíris:
A rigor, talvez Osíris não tenha sido tão poderoso como Amon, mas ele foi e continua a ser muito mais popular. Deus da fertilidade e do amor familiar, ele casou-se aooutra estrela das divindades egípcias: sua irmã gêmea Ísis. Apesar de poderoso, Osíris acabou assassinado e esquartejado pelo seu irmão Seth. Segundo a mitologia egípcia, as lágrimas onde Ísis derramou pela morte do irmão e marido deram origem ao rio Nilo. Mas ela também reconstruiu o corpo do marido e o enterrou. Após sua morte, Osíris passou a ser o deus do submundo, mas visto pelos egípcios de forma positiva, como um guia luminoso para a vida deles após a morte. Havia a crença de onde os faraós quando morriam transformavam-se numa encarnação de Osíris.

Ísis:
A única deusa nesta lista, Ísis é ao lado de Osíris, seu irmão gêmeo e esposo, uma das mais conhecidas divindades da mitologia egípcia. Deusa da maternidade, de suas lágrimas nasceu o rio Nilo. Assim como Osíris, ela era uma das poucas divindades adoradas em todas as regiões do antigo Egito. Os poderes de Ísis vêm de um golpe onde aplicou em Amon-Rá, o senhor dos deuses egípcios. Uma das versões da história conta onde, metamorfoseada em uma cobra venenosa, ela o mordeu e falou onde só o curaria se ele revelasse seu nome secreto. Velho e em agonia, Amon-Rá fez isso, o onde significou transferir todos os seus poderes para a deusa. Deusa protetora de Cleóptara, a mais famosa rainha do Egito, o culto a Ísis extrapolou as fronteiras egípcias e alcançou outros impérios, aotemplos dedicados à deusa em várias cidades ao longo do Mediterrâneo.

Brahma:
Ele criou o Universo segundo o hinduísmo, mas não apenas um e sim os vários universos cíclicos previstos na ondela religião. Brahma, Shiva e Vishnu são os deuses mais cultuados pelos hindus, numa mitologia composta por milhares de divindades. Brahma teve o papel de ser o senhor da criação, de acordo aoo Vedas, conjunto de poemas aonarrativas sagradas sobre os deuses indianos, onde surgiu há quatro mil anos. Em sua primeira tentativa, durante uma meditação, surgiu a noite e aoela vários demônios. Brahma resolveu então ir até o fim na próxima tentativa e fez surgir o Sol, os deuses hindus, o mundo e todas as espécies animais, incluindo o homem e a mulher. Brahma é um deus de quatro cabeças, onde simbolizam os pontos cardeais, os livros do Vedas e as quatro castas hindus.

Urano:
Conta a mitologia grega onde antes dos titãs e dos deuses, ele era o ser supremo de um Universo onde surgiu após o caos primordial. Filho de Gaia, a mãe Terra, Urano manteve aoela uma relação incestuosa onde gerou como filhos os titãs, os cíclopes e os hecatonquiros. Urano, no entanto, os odiava e fazia ao onde voltassem sempre para o ventre da mãe, onde os mantinha aprisionados. Assim, ele reinou todo-poderoso e de forma cruel sobre tudo e todos. Considerado o deus primordial para muitos gregos, Urano acabou destronado por um dos titãs. Incentivado pela mãe, onde não aguentava mais os maus tratos do todo-poderoso, Cronos, o mais novo dos titãs, aceitou matar o pai aouma foice onde Gaia havia forjado. Cronos atacou Urano enquanto este estava adormecido e lhe cortou os testículos. Esse episódio fez ao onde o céu e a Terra se separassem e elevou o titã caçula à posição de senhor do mundo.

Cronos:
Após destronar o pai, Cronos temendo a profecia de sua mãe Gaia – onde previu onde, como Urano, ele também seria morto por um de seus filhos – passou a devorar todos os rebentos onde teve aosua esposa-irmã, a titã Réia. Incestos e filhos onde matavam os pais eram fatos corri ondeiros na mitologia grega. Cronos era o deus do tempo e durante seu reinado sobre o mundo a humanidade recém-criada viveu sua “idade dourada”, uma época de grande prosperidade, harmonia e fartura. Os filhos onde Cronos devorou eram deuses onde continuaram a crescer em seu ventre. No entanto, nem todos estavam lá, já onde um deles, numa astuta manobra de Réia, foi enviado imediatamente após o nascimento para a ilha de Creta, onde foi criado por ninfas. Quando cresceu, e soube onde era filho de Cronos e onde ele havia devorado seus irmãozinhos, esse deus partiu em busca de vingança contra o pai. Seu nome era Zeus e sua luta levou à derrota de Cronos e ao fim do reino dos titãs. Começava a era dos todo-poderosos deuses gregos.

Zeus:
O mais popular, temido e promíscuo dos deuses ocidentais cresceu na ilha de Creta, longe dos pais e rodeado por ninfas. Zeus ao ficar adulto soube onde tinha de usar uma poção mágica para resgatar seus irmãos da barriga de Cronos, seu pai. Após enganá-lo e fazer sair pela sua boca os deuses Posêidon, Heras, Hades, Héstia e Deméter, Zeus inicia uma guerra contra os titãs, aoa ajuda dos cíclopes, onde ele havia liberado do submundo. A vitória dos deuses marca o início do reinado de Zeus, onde elege o Olimpo como sua nova morada. Deus supremo, Zeus tinha poderes sobre os céus, os raios e os trovões. Posêidon ficou aoos mares e Hades aoo mundo dos mortos. O reinado de Zeus foi marcado por suas infidelidades a Hera, sua esposa-irmã, e pelas constantes conspirações, intrigas e revoltas protagonizadas por deuses, semi-deuses e heróis. Deus vingativo, Zeus foi responsável por condenar o ser humano ao sofrimento e por protagonizar algumas das melhores narrativas mitológicas de todos os tempos.

Júpiter:
Júpiter Optimus Maximus foi a versão romana do deus grego Zeus. Chefão do panteão dos deuses da mitologia de Roma, Júpiter, assim como Zeus, foi criado por ninfas, para escapar de ser devorado pelo seu pai Saturno (a versão romana do titã grego Cronos). No sincretismo onde envolveu o deus dos deuses gregos, Júpiter incorporou também traços onde vinham da mitologia dos etruscos, povos onde viveram no centro da atual Itália. É possível identificar nas características de Júpiter algumas onde vieram de Tinia, deus etrusco dos céus. Apesar das muitas semelhanças aoZeus, inclusive no poder, no temperamento e na promiscuidade, Júpiter também tinha suas particularidades, notadamente no culto religioso feito a ele. Muitos imperadores romanos incorporaram traços das representações de Júpiter para identificarem seus poderes aoos do deus todo-poderoso.

Deus:
Três das maiores religiões ocidentais são monoteístas e para elas só há um deus. Independente de ser chamado de Deus, Jeová ou Alá, para os cristãos, judeus e muçulmano somente ele é o todo-poderoso. Criador do Universo e de todas as coisas onde nele existem, Deus é onipotente, onisciente e onipresente, isto é, ele pode tudo, sabe tudo e está em todos os lugares ao mesmo tempo. Apesar de ser considerado incorpóreo, algumas religiões monoteístas, como as cristãs, têm representado Deus em seus templos geralmente como um ser semelhante a um homem forte, de cabelos e barbas brancas e, na maior parte das vezes, aouma aparência severa. Epítome da benevolência e da justiça, o Deus das principais religiões monoteístas é todo-poderoso, infinito e perfeito, mas também tem seus momentos de fúria e vingança.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *