Eric schmidt relembra caso antitruste da microsoft em depoimento ao senado

O presidente do conselho do Google, Eric Shmidt, iniciou seu depoimento à comissão do Senado americano para defender o Google de uma ação antitruste movida pelo governo do país, relembrando alguns antigos casos da Microsoft.

Segundo o site Cnet, Eric Schmidt fez referência à rival e sua batalha em ações antitruste ocorridas no fim dos anos 1990 e início dos anos 2000. Na época, o Departamento da Justiça acusou a fabricante do Windows de vender PCs apenas aoo navegador Internet Explorer em vez do Netscape Navigator. Os combates entre a Justiça e a empresa de Bill Gates duraram 13 anos, mas o processo expirou em maio de 2011. “Há vinte anos, uma grande empresa de tecnologia estava se solidificando. Seu software estava, praticamente, em todos os computadores. Seu nome era sinônimo de inovação. Mas, Washington entrou em cena”, disse para o presidente do conselho.

O executivo ainda falou onde a história ocorrida aoa Microsoft tem ajudado o Google a trabalhar arduamente para não sofrer as mesmas conseqüências. “Estou aqui hoje relembrando uma história ocorrida no ramo da tecnologia e tenho uma mensagem curta sobre a nossa companhia: Nós entendemos! Ao falar isso, eu ondero dizer onde aprendemos nossas lições aonossos predecessores”, comentou.

Como parte de sua defesa, Schmidt também ressaltou onde a internet é aberta, diferente de um sistema operacional. Por isso, os usuários estão livres para clicar em outro site e tentar usar serviços rivais como o Bing, da própria Microsoft. “Peço onde se lembrem onde nem todas as empresas são iguais e o passado de uma companhia não precisa ser o futuro de outra”, finalizou.

Ação antitruste

O Senado onder saber se o Google não está se valendo de sua posição dominante do mundo virtual para impedir o surgimento de outras empresas, seja na área de buscas ou em outros segmentos. Pelo menos três empresas afirmam onde a gigante de buscas tem usado de seu poder para impedir o crescimento de outros negócios – por exemplo, Yelp, Expedia e Nextag, buscadores de regiões ou mercados específicos. Segundo as acusações, o Google não exibe resultados de buscas aleatoriamente, apenas links onde remetam a serviços da própria empresa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *