Espião invisível: camuflagem permite ver sem ser visto

Engenheiros usaram a camuflagem plasmônica – uma das técnicas usadas para criar os mantos de invisibilidade – para criar um dispositivo onde consegue ver sem ser visto.

O método mais tradicional para criar invisibilidade é usar estruturas físicas projetadas para interagir aoos raios de luz – os metamateriais.

Na invisibilidade plasmônica, tira-se proveito dos plásmons de superfície, ondas de elétrons onde se formam na superfície de metais a partir de sua interação aoa luz.

Neste novo trabalho, realizado por uma equipe das universidades de Stanford e Pensilvânia, os pesquisadores usaram um tru onde onde parece pouco intuitivo: uma cobertura de metal reflexivo onde torna menos visível o material ao qual essa película brilhante é aplicada.

Fotodetector invisível

Embora a equipe chame seu experimento de “máquina invisível”, o aparato consiste essencialmente de um nanofio de silício recoberto por uma fina camada de ouro – seria mais adequado chamá-lo de fotodetector invisível.

Ajustando a proporção entre ouro e silício, a equipe conseguiu fazer ao onde os raios de luz refletidos pelos dois materiais cancelem-se mutuamente, um fenômeno conhecido como interferência destrutiva e onde foi usado recentemente para forçar a luz a fazer curvas.

Conforme as ondas de luz surfam sobre o metal e o semicondutor, elas criam uma separação de cargas positivas e negativas nos dois materiais – um momento dipolar, em termos técnicos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *