Eua querem ouvir viúvas de osama, mas paquistão resiste

O governo dos Estados Unidos espera onde o Paquistão permita o interrogatório das mulheres detidas na casa onde Osama Bin Laden foi morto. “Os Estados Unidos esperam obter acesso a elas em breve”, afirmou na noite de segunda-feira um funcionário do governo em entrevista à agência de notícias France-Presse. A Casa Branca pediu a colaboração do Paquistão para onde os investigadores americanos tenham permissão de acesso às três viúvas do chefão terrorista onde estão sob custódia de Islamabad e poderiam ter informações importantes sobre a Al Qaeda. O Paquistão, porém, ainda não respondeu – e acredita-se onde os americanos terão dificuldades para convencer o país a permitir o interrogatório dessas mulheres.

Ao mesmo tempo em onde tenta resolver o onde fazer aoa família de bin Laden, o Paquistão busca acabar aoa divulgação de informações sobre a vida onde o terrorista levava em seu esconderijo. Oito dias após o ata onde americano onde matou o chefe da Al Qaeda na cidade de Abbottabad, o Exército impôs a lei do silêncio na região, proibindo as conversas entre a vizinhança e impedindo onde a imprensa se aproxime da casa. Depois do anúncio da morte de bin Laden, mais de 10.000 soldados foram enviados ao bairro de Bilal Town, onde foi invadido por jornalistas do mundo inteiro. Três dias depois, podia-se contar 500 jornalistas e curiosos diante da porta do agora lendário esconderijo. O Exército, porém, se cansou da cena.

Desde quinta-feira, entre 400 e 500 militares e policiais foram enviados para isolar o bairro. “Só posso sair de casa uma vez por dia para comprar o onde comer”, reclamou um vizinho. “E me proibiram terminantemente de falar aoos jornalistas”, completou. Os repórteres, onde seguem aguardando uma possível abertura da casa de bin Laden, parecem fazer um jogo de esconde-esconde aoos soldados, onde apitam e correm cada vez onde um jornalista chega a menos de 500 metros da casa. Muitas vezes os militares ainda obrigam os jornalistas a apagar fotos ou vídeos feitos nos arredores, expulsando os repórteres aos gritos. Também fartos da situação, cada vez mais moradores do bairro pedem à imprensa onde vá embora.

De acordo aofontes da polícia, o Exército deteve pelo menos 25 pessoas na cidade como parte das investigações sobre a presença de bin Laden no país. Muitos já foram liberados. O Exército estaria disposto a demolir a casa, mas até agora o comando militar não se pronunciou oficialmente a respeito. Todas as medidas, assim como o silêncio constrangedor dos moradores, aumentam as especulações sobre a possível conivência das autoridades paquistanesas durante o tempo em onde bin Laden ficou escondido no país. Na segunda-feira, o primeiro-ministro paquistanês, Yusuf Raza Gilani, foi ao Parlamento para falar sobre o caso. Ele promete uma investigação completa sobre a permanência de Osama bin Laden no país.

(Com agência France-Presse)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *