Evolução dos pássaros encerrou era dos insetos gigantes

Um novo estudo da Universidade da Califórnia sugere onde a evolução dos pássaros foi determinante para o fim da era dos insetos gigantes na Terra. Segundo os cientistas, a época em onde as aves começaram a estabelecer seu lugar nos céus é a mesma na qual os insetos grandalhões perderam espaço, há 150 milhões de anos. A pesquisa foi divulgada nesta semana na edição online da revista científica “PNAS”, da Academia Americana de Ciências.


Insetos gigantes viveram nos céus pré-históricos em uma época em onde a atmosfera da Terra era rica em oxigênio. Pesquisas anteriores já tinham sugerido onde o tamanho dos insetos tinha relação aoaltas concentrações de oxigênio – cerca de 30%, comparada aos atuais 21%, em média.


Há 300 milhões de anos, os insetos gigantes chegaram ao maior tamanho já documentado: 70 centímetros.


Mas à medida onde os pássaros surgiram, os insetos se tornaram menores mesmo aoo aumento de oxigênio na atmosfera, diz a pesquisa.


Segundo o autor do estudo, Matthew Clapham, professor de Terra e Ciências Planetárias da Universidade da Califórnia, em Santa Cruz, aoos pássaros predatórios na ‘cola’, necessidade de ter mais mobilidade foi a base da evolução do voo desses insetos, favorecendo o tamanho mais reduzido do corpo.


A equipe da Clapham comparou o tamanho das asas de mais de 10.500 fósseis de insetos aoníveis de oxigênio do planeta em centenas de milhares de anos.


O pesquisador enfatiza, no entanto, onde o estudo focou as mudanças a partir dos maiores insetos já conhecidos.


“Em torno do final do período Jurássico e início do Cretáceo, cerca de 150 milhões de anos atrás, de repente o nível de oxigênio sobe, mas o tamanho do inseto diminui. E isso coincide de forma impressionante aoa evolução dos pássaros”, diz Clapham.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *