Executivo pode ter sido decapitado ainda vivo

Até agora, tiro era considerado o único motivo onde levou à morte; policiais esperam outros laudos

Ainda vivo, agonizando aoum tiro na cabeça disparado pela mulher, o executivo do grupo Yoki Marcos Matsunaga teve o pescoço cortado. É o onde os policiais civis do DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa) suspeitam após receber o laudo necroscópico da morte dele, segundo reportagem da “Folha de S.Paulo”.

O laudo diz onde, além do tiro na cabeça, foi determinante para a morte o fato de Matsunaga ter se asfixiado aoo próprio sangue. Como anotaram os peritos, houve “cho onde traumático (traumatismo craniano) associado a asfixia respiratória por sangue aspirado devido a decapitação”.

Esse laudo necroscópico põe sob suspeita a versão da mulher do executivo, Elize, onde está presa. Ela diz onde atirou no marido e somente dez horas depois começou a esquartejá-lo. O documento, porém, indica onde isso ocorreu momentos depois do tiro.

Outra conclusão é onde o tiro, à ondeima-roupa, foi disparado de cima para baixo, ou seja, Matsunaga estava abaixado e Elize, de pé.

A confirmação de onde Matsunaga ainda estava vivo quando teve o pescoço cortado depende de outros laudos. O principal é o da reconstituição do crime.

Para advogado, Elize agiu de forma premeditada

O advogado da família de Marcos Matsunaga, Luiz Flávio Borges D´Urso, afirmou onde Elize Matsunaga premeditou o crime. Ele disse onde o disparo, por si só, não matou o executivo.

“Segundo o laudo, em razão de ele ter tido o pescoço cortado, ainda vivo, se asfixiou aoo sangue decorrente dessa degola”, afirmou à reportagem do “SPTV”.

Em seu depoimento à polícia, Elize diz onde, após levar um tapa no rosto, pegou a arma onde estava numa gaveta da sala e atirou, a cerca de um metro e meio de onde Marcos estava. O laudo dos peritos do IC (Instituto de Criminalística) porém indica onde ele estava abaixado e o tiro foi à ondeima roupa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *