fibromialgia, saiba o que é ?

Fibromialgia – Significa, literalmente, “dor nos músculos e nos tecidos fibrosos” (ligamento e tendões). A doença se caracteriza por uma dor espalhada por todo o corpo. Sempre existiu, mas só foi oficialmente reconhecida em 1981, num congresso de medicina nos Estados Unidos.






Sintomas:

Dores: Começam numa área especifica – o ombro ou a coluna lombar, por exemplo – e depois se estendem para o corpo.


Rigidez generalizada do corpo, ao se levantar de manhã e inchação nas mãos e nos pés. Também se notam formigamentos nas mãos.


Cansaço: se mantém durante quase todo o dia, semelhante à fadiga crônica. A vitima se sente como se estivesse totalmente sem energia. Sofre enxaquecas, dores na menstruação e secura na boca.


Ansiedade e depressão.


Insônia: com dores pelo corpo todo, a pessoa não encontra uma posição confortável para dormir.


A Incidência:


As mulheres são as maiores vítimas da fibromialgia. Esta doença é oito vezes mais freqüente em mulheres do que em homens.


Causas:


O que produz a dor – o ser humano tem mecanismo para sentir dores e para se proteger delas. O mecanismo que regula a sensação de dor é uma substância chamada serotonina.


Numa pessoa saudável, quando o corpo se exercita, ou se movimenta, o organismo produz automaticamente a serotonina para proteger os músculos de dores.


Quem tem fibromialgia produz – por motivos que a ciência ainda não sabe explicar – pouca serotonina. Assim basta uma pequena sobrecarga das articulações, uma leve movimentação do corpo, para que a dor comece.


Fatores que desencadeiam a doença:


Externos – Clima úmido, sedentarismo (falta de exercícios) postura incorreta.


Internos – Depressão, ansiedade e problemas emocionais.


Diagnóstico:


O exame é feito com o tato pois a vítima tem um nódulo (caroço) na junção entre o nervo e o músculo. O nódulo funciona como um “ponto de gatilho” da dor: ou seja, sempre que ele é pressionado surgem dores.


O médico só consegue identificar a enfermidade pressionando, com o polegar, 18 pontos pré-estabelecidos do corpo. Se pelo menos 11 pontos estiverem doloridos, a doença é diagnosticada.








Os pontos estão localizados:

A – Occipital – inserção do músculo occiptal


B – Cervical baixa – face anterior no espaço intertransverso de C5-C7


C – Trapézio – ponto médio da borda superior


D – Segunda costela – junção da segunda costocondral


E -Supraespinhoso – acima da borda medial da espinha da escápula


F – Epicôndilo lateral – a 2 cm do epicôndilo


G – Gluteos – quadrante lateral e superior das nádegas


H – Grande trocanter – posterior à proeminência trocantérica


I – Joelho – região medial próxima à linha do joelho


Tratamento:


Antes de tudo é preciso manter hábitos saudáveis, como procurar dormir bem. Isto é fundamental na terapia. O lado psicológico não pode ser esquecido: o paciente precisa ocupar seu tempo com atividades que o façam ser útil, para não se entregar à doença e recuperar o prazer de viver.


Atividades Sugeridas:


A natação é um dos melhores exercícios porque movimenta o corpo todo. A água deve ser morna.


A hidroginástica é importante. Á água também deve ser morna, pois na água fria o paciente não consegue suportar as dores.


A massagem é um bom tratamento, desde que seja leve, sem pressionar demais os músculos para não agravar as dores.


Na ginástica, o exercício de alongamento é um dos mais indicados para combater a doença.

Recomendados Para Você:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *