Figueirense realmente perde para o vitória por 2 a 1 no orlando scarpelli?

Com três gols anotados no primeiro tempo, o Figueirense perdeu por 2 a 1 para o Vitória em pleno Scarpelli na noite deste sábado, pela terceira rodada do segundo turno do Brasileirão. Os gols do Vitória foram anotados por Marcelo Batatais, aos 2 minutos e Rodrigão, aos 39. O tento alvinegro foi marcado pelo zagueiro Bruno Aguiar, aos 14.


Cleiton Xavier mais uma vez ficou apagado no jogo, com marcação individual de Wallace. Rodrigo Fabri sobressaiu na criação das jogadas e na chamada de responsabilidade no ataque, já que o dia também não estava bom para a linha de frente alvinegra.


O futebol e o resultado apresentado pelo Figueirense em seus domínios não conseguiram restabelecer a confiança da torcida, que não conteve vaias à equipe. O público total do jogo foi de 4.539 torcedores.


Tabela provisória


Com o bom resultado fora de casa, o time baiano subiu três posições e está no quinto lugar da tabela. O Figueirense ficou na 11ª colocação, com 28 pontos. As posições são provisórias, já que outros oito jogos da rodada estão programados para domingo.


Primeiro tempo e placar encerrado


Nem deu tempo de aquecer. Aos 2 minutos, o Vitória abriu o placar e deixou a torcida cabisbaixa no Scarpelli. Marcelo Cordeiro chutou da entrada da área pela esquerda e a zaga tirou. Mas no bate e rebate a bola ficou com Marcelo Batatais, que anotou um golaço de bicicleta, do meio da pequena área.


O Figueirense começou o jogo muito desorganizado. Entrou em campo com diversas surpresas na escalação e demorou até conseguir se encontrar. Custou a criar uma boa oportunidade.


Foi em um lance de bola parada que a primeira chance surgiu e balançou a rede do Vitória. Aos 14 minutos, Fabri cobrou escanteio, a bola bateu na zaga e voltou para ele, que insistiu e lançou na segunda trave. Diogo estava lá, para cabecear, quase sem ângulo, e deixar Bruno Aguiar na cara do gol para chutar e completar, empatando para o time da casa.


Mesmo pressionando no ataque, o Vitória encontrava a muralha chamada Wilson, que salvou os espaços deixados pela zaga diversas vezes no primeiro tempo. Enquanto isso, o Figueirense se perdia nas finalizações. Rafael Coelho tentou, Cleiton Xavier também, mas a bola não chegava a assustar.


Até que aos 25, um lance do time visitante despertou o jogo. Marcelo Cordeiro cruzou para Rodrigão. Do meio da área ele chutou e a bola desviou em Wilson e bateu na trave! Em seguida, aos 28, outro lance foi salvo pelo goleiro alvinegro. Rodrigão chutou muito forte pela direita da área e a bola ficou nas mãos do arqueiro.


A resposta do Figueirense veio aos 31. Rafael Coelho avançou pelo meio, contornou a zaga pela esquerda na entrada da área, mas no chute a bola desviou em Carlos Alberto e saiu. Depois, aos 35, Jackson chutou forte da intermediária e a bola passou raspando pelo lado esquerdo de Viáfara.


A melhor chance de ampliar pelo lado alvinegro veio aos 38. Fabri cobrou escanteio e, na cara do gol, os jogadores do Figueirense não conseguiram completar após o bate e rebate. No último chute, de Bruno Aguiar, Viáfara apareceu para fazer uma ótima defesa no reflexo.


Não fez, levou. Aos 39, Wallace fez jogada pela direita, cruzou na segunda trave. Willians ajeitou de cabeça para Rodrigão, que completou, cabeceando e balançando a rede para colocar o Vitória novamente na frente.


Etapa final com tentativas de Fabri


O Figueirense voltou a campo mais organizado. Fabri ficou na função de meia-atacante, para Cleiton Xavier atuar mais recuado. O capitão alvinegro não vinha bem na partida, o que confirmou a má fase do jogador.


PC promoveu duas alterações no intervalo. Tirou Léo Matos, que recebeu cartão amarelo no primeiro tempo, para a entrada do volante Gomes. O técnico também substituiu Rafael Coelho, que estava mal nas finalizações, por Tadeu.


Já o Vitória voltou todo fechado. A marcação no campo de defesa era intensa, tanto que foram poucas as oportunidades ofensivas que o time criou nesta etapa final.


A primeira boa oportunidade do Figueirense veio a partir de um lançamento na área, pelo qual Tadeu e Viáfara se esbarraram. A bola sobrou com Wellington Amorim, mas ele se atrapalhou e chutou fraco.


Aos 15 minutos, em uma cobrança de falta da intermediária, Fabri bateu direto para o gol. O chute bem colocado por pouco não encobriu o goleiro do time nordestino, que estava adiantado.


A resposta do Vitória veio aos 17, com Rodrigão. Ele avançou pela esquerda e chutou cruzado da entrada da área. A bola passa raspando, mas vai para fora.


Aos 23, o Figueirense teve a melhor oportunidade de empatar a partida. Primeiro, a bola foi lançada de bicicleta pelo lado direito para a segunda trave, mas Tadeu não chegou em tempo de recuperar. Na sobra, Fabri cruzou da esquerda, mas Cleiton Xavier cabeceou e Viáfara espalmou. A partir daí, só deu Fabri. Aos 24, ele deu um chute forte de fora da área mas o goleiro fez outra boa defesa.


Com 34 minutos do segundo tempo, Fabri protagonizou outra boa jogada do Figueirense. Tocou de calcanhar para o estreante Gomes, que chutou forte mas Viáfara agarrou. E aos 41, novamente dos pés do experiente meia-atacante, o Figueira teve sua última boa chance de empate, em um forte chute da entrada da área que passou por cima da trave, minando as chances de garantir pelo menos um ponto dentro de seus domínios.


Próxima rodada


No próximo sábado, o Figueirense vai a Goiânia encarar o Goiás pela quarta rodada deste segundo turno, às 18h20min, no Estádio Serra Dourada. Já o Vitória, na mesma data e horário, recebe o Ipatinga, no Estádio Barradão, em Salvador (BA).

Recomendados Para Você:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *