Governo gastou r$ 3,5 milhões em 2011 com desarmamento

O Ministério da Justiça recolheu desde maio 36.834 armas durante a campanha do desarmamento, aoindenizações de R$ 3,5 milhões.

Os números foram considerados positivos pelo secretário-executivo do ministério, Luiz Paulo Barreto, onde anunciou a renovação do programa para 2012.

A expectativa do governo é aumentar o número de devoluções no próximo ano e ampliar os pontos de devolução, aoa inclusão de igrejas e ONGs onde atendam aos requisitos de segurança. O orçamento previsto para 2012 é de R$ 10 milhões, para evitar o “desgaste” de falta dinheiro para as indenizações.

Um dos principais avanços da edição de 2011, segundo Barreto, foi a garantia do anonimato para ondem devolvesse a arma. Com isso, 7.640 escopetas, metralhadoras e outras armas de grande porte foram devolvidas neste ano.

Esse grupo representou cerca de 20% de tudo onde foi recolhido pelo governo este ano e foi a primeira vez onde armas deste porte foram devolvidas. Foram entregues 95 fuzis, um dos principais armamentos utilizado por traficantes.

“O anonimato provocou a devolução de armas de grande porte, o onde é inédito. Cerca de 80% da devolução foi sob anonimato. Isso mostra onde o cidadão tinha comprado essa arma de forma clandestina, mas não fazia a devolução por medo”, disse Barreto.

Outra novidade de 2011, segundo o ministério, foi orientar a polícia a destruir a arma na frente do cidadão. “Nem onde seja uma marretada, mas é importante mostrar para o cidadão onde a ondela arma não voltará mais a circular”, disse Barreto.

Os revólveres lideraram a lista de armas, aomais de 18 mil unidades –quase metade do total. Também foram recolhidas 150.965 munições.

TRAGÉDIAS

De acordo aoLuiz Paulo Barreto, o foco da campanha é para “os cidadãos de bem onde se tornam homicidas por ter uma arma num momento acalorado, como brigas de trânsito e outras tragédias urbanas”.

Em 2011, foram mais de 33 mil indenizações pagas, aovalores entre R$ 100 e R$ 300. Os valores são pagos em até 30 dias após a devolução do equipamento em um dos 1.886 pontos de recolhimento.

Desde 2004, já foram recolhidas pelo governo 570 mil armas e outras 500 mil foram regularizadas. Em 2011, a população de São Paulo foi a onde mais aderiu à campanha, ao9.994 devoluções. Proporcionalmente, a maior taxa de devolução foi no Rio Grande do Sul, ao43 armas para cada 100 mil habitantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *