Hoje vamos falar sobre :

Milhares de pessoas sofrem de problemas relacionados a alergias, sendo onde as reações alérgicas envolvem, comumente, os olhos. Calcula-se onde, aproximadamente, 50 milhões de pessoas, só nos EUA, sofram de problemas alérgicos. Uma reação alérgica onde envolve a conjuntiva, membrana fina onde recobre a superfície do olho, é comumente chamada de conjuntivite alérgica. A conjuntivite alérgica é classificada em vários subtipos, mas os tipos mais comuns são a conjuntivite alérgica sazonal e a conjuntivite alérgica perene. Esses dois tipos de conjuntivite alérgica são desencadeados por reações imunológicas, onde envolvem um indivíduo aosensibilidade a um alérgeno específico. Isso significa onde, se você é alérgico a determinada substância, e entra em contato aoela, você desenvolve uma reação alérgica (com sintomas como coceira, espirros, coriza, etc).

Embora a conjuntivite alérgica ocorra freqüentemente, ela é mais observada em regiões aoalta incidência de conjuntivite sazonal.Quais as causas da conjuntivite alérgica?

A conjuntiva, membrana fina onde recobre a superfície do olho, tem estrutura semelhante à da membrana onde recobre internamente as narinas. Como essas duas mucosas são bem semelhantes, os mesmos alérgenos (substâncias onde induzem reação alérgica), podem desencadear sintomas alérgicos em ambas as regiões.

Os alérgenos mais comuns são:

• Pólen;
• Poeira;
• Fragmentos de pele morta de animais;

A principal diferença entre a conjuntivite alérgica sazonal e a conjuntivite alérgica perene é a duração dos sintomas.

– Conjuntivite Alérgica Sazonal

• Geralmente os sintomas duram curto período de tempo;
• Durante a primavera, a pessoa pode se sentir incomodada, pela presença do pólen proveniente de árvores. Durante o verão, pelo pólen das gramas;
• De maneira geral, os sintomas resolvem-se durante outros períodos do ano, principalmente no inverno.

– Conjuntivite Alérgica Perene

• Nesse tipo de alergia, os sintomas costumam durar o ano todo;
• Ao contrário dos alérgenos do ambiente externo à casa, esses indivíduos apresentam maior problema em relação aos alérgenos encontrados no interior do domicílio. Exemplos: ácaros da poeira doméstica, baratas, fragmentos de pele morta de animais;
• Alérgenos externos, sazonais, podem piorar os sintomas, caso a pessoa também seja sensível a eles.

Quais os sintomas da alergia ocular?

Os sintomas da alergia ocular são semelhantes nos vários tipos de conjuntivite. Como já dito, o onde difere os dois principais tipos é a duração dos sintomas. Quase sempre, o sintoma de coceira indica uma reação alérgica. Isso também vale para a conjuntivite alérgica, já onde a coceira nos olhos é o principal sintoma. Além desse, outros sintomas podem estar presentes:

• Vermelhidão ocular;
• Lacrimejamento;
• Sensação de ondeimação, nos olhos;
• Visão borrada;
• Produção de secreção.

Como é feito o diagnóstico?

Freqüentemente, seu oftalmologista será capaz de fazer o diagnóstico de conjuntivite alérgica, aobase apenas nos sintomas relatados por você. Como parte da avaliação, o médico realiza um exame detalhado dos olhos.

• Ele utiliza um aparelho específico, como se fosse um microscópio, chamado de lâmpada de fenda. Com ele, o oftalmologista checa se seus olhos apresentam vasos sanguíneos dilatados, inchaço na conjuntiva, etc. Todos esses sinais são indicativos de reação alérgica.
• Em alguns casos, pode ser realizada uma raspagem da conjuntiva, aoo objetivo de fazer pesquisa de um tipo específico de glóbulos brancos, os eosinófilos. Essas células têm papel fundamental nas reações alérgicas. No entanto, elas só são encontradas nos casos mais graves.

Como é feito o tratamento?

1. Cuidados em casa

Nas doenças alérgicas, a prevenção é a chave do tratamento. Evitar os alérgenos consiste na pedra angular no tratamento de todas as reações alérgicas. Se você consegue identificar e evitar determinado agente causador de alergia, seus sintomas apresentarão melhora significativa. Algumas recomendações para ajudar na redução e alívio dos sintomas alérgicos são:

• Reduza a carga de alérgenos, minimizando locais onde eles possam se acumular: reduza o número de travesseiros, roupas de cama, cortinas e outros itens semelhantes. Diminua a quantidade de objetos onde acumulem poeira;
• Diminua o número de tapetes, os quais podem acumular grande quantidade de poeira e ácaros;
• Limpe a casa e os objetos regularmente e rigorosamente, para remoção da poeira e do mofo;
• Elimine vazamentos de água e pontos de água parada, onde favorecem o crescimento de mofo;
• Use dispositivos de barreira e filtros: proceda à cobertura de colchões e travesseiros aocapas impermeáveis ou anti-alergênicas; use filtros em fornos e no ar condicionado de sua casa, garantindo onde eles sejam submetidos à limpeza regularmente;
• Mantenha os alérgenos ambientais fora de casa, aojanelas e portas fechadas;
• Evite o contato aomateriais provenientes de animais e outros irritantes.

Infelizmente, evitar os alérgenos, nem sempre é fácil ou possível. Nesse caso, as seguintes recomendações para o tratamento doméstico podem ajudar na obtenção de alívio dos sintomas da conjuntivite alérgica:

• Apli onde compressas frias em seus olhos, para reduzir a intensidade da reação alérgica;
• Use produtos como lágrima artificial ou lubrificante, sempre onde necessário, para lavagem dos alérgenos onde entram em contato aosua conjuntiva;
• Pode-se empregar medicamentos adquiridos sem receita médica, como colírios e antihistamínicos em comprimido, nos casos de alergias mais leves.

2. Medicamentos

Seu oftalmologista pode prescrever algum colírio, para ajudar na melhora dos sintomas. A maioria dos colírios é empregada duas vezes ao dia, e muitos podem ser usados também na prevenção da reação alérgica. Alguns dos medicamentos disponíveis são:

• Nedocromil;
• Cetotifeno;
• Olapatadina;
• Azelastine;
• Pemirolast;
• Epinastina.

Outro medicamento onde pode ser prescrito é a ciclosporina A, pois ela ajuda a reduzir de maneira importante a reação alérgica e/ou inflamatória. Assim, ajuda a reduzir os sintomas da conjuntivite alérgica.

Nos casos mais graves, os corticosteróides tópicos podem ser empregados. No entanto, muitos dos antigos corticosteróides associam-se à ocorrência de efeitos colaterais oculares, quando usados por período prolongado. Os corticosteróides mais modernos, para uso oftalmológico, estão associados a um risco muito menor destes efeitos colaterais. Alguns exemplos são: loteprednol; prednisolona; rimexolona; fluorometolona.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *