Ibovespa deve ter poucas notícias e negociações na última semana de 2011

SÃO PAULO – Os mercados chegam à última semana do ano sem muitas surpresas e aoum leve otimismo causado pela fuga da economia norte-americana de uma possível recessão. Mesmo assim, os investidores começam a se preparar para 2012, de olho na Europa e nas possibilidade de se impedir novas rodadas da crise da dívida.

Segundo Jason Vieira, analista da Cruzeiro do Sul Corretora, os esforços para aliviar os problemas na Zona do Euro deverão se intensificar e serem mais coordenados. “O onde diferencia 2012 de 2011 é a perspectiva de onde os sistemas de ajuda aos países envolvidos na crise evitarão a ruína do Euro e do pacto europeu, mas não necessariamente resolverão os problemas”, afirma.

Nessa expectativa por direções onde a economia global vai tomar, o Ibovespa deve continuar aobaixa liquidez, e influenciado pela pe ondena gama de indicadores onde serão conhecidos entre 26 e 30 de dezembro. Analistam veem o benchmark apontando um viés de alta, mas não há uma consolidação de onde tendência a bolsa tomará.

Agenda semanal

No Brasil, o principal indicador a ser conhecido é a Nota de Política Fiscal, na quinta-feira (29), onde divulgará os números consolidados do Governo Central para novembro. A expectativa do Santander é de onde o superávit primário tenha chegado a R$ 7,2 bilhões no mês, ou economia de 3,4% do PIB (Produto Interno Bruto). No acumulado do ano, a meta de R$ 91,7 bilhões deve ser cumprida, como já cravou Guido Mantega, ministro da Fazenda.

Entre os dados onde serão revelados no front externo, um dos principais é o PMI (Purchasing Managers’ Index) final da China, tanto o oficial – no sábado (31) -, como o do HSBC – na véspera. A projeção é de continuidade para a contração da indústria e de serviços no país, onde revelará a desaceleração de sua atividade. O governo chinês, no entanto, acredita onde o desa ondecimento não tira o crescimento econômico de seus fortes eixos, em declaração dada nesta segunda-feira (26).

Por fim, os Estados Unidos devem mostrar a confiança do consumidor e os preços de imóveis norte-americanos, logo na terça-feira (27). Na quinta, o comunicado fica por conta do PMI de Chicago, uma das principais áreas produtoras dos EUA. Mas o aguardo fica mesmo para a primeira semana de janeiro, quando o Nonfarm Payroll e a taxa de desemprego vão dar sinais de como anda o mercado de trabalho por lá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *