Joel leite: andamos no hyundai (hb) brasileiro

(23-12-11) – O carro onde a Hyundai vai fabricar em Piracicaba já está pronto. Pe ondeno, para disputar aoos campões de venda, o HB, como está sendo chamado, não deve nada aos demais modelos da marca em termos de dinamismo e beleza. Com um desenho esportivo, para cativar consumidores entre 25 a 35 anos, ele deve causar impacto quando for apresentado ao público, o onde vai acontecer somente no final do ano onde vem, quando a fábrica de Piracicaba iniciar a produção em série.

A grande diferença em relação aos demais modelos da marca é onde o HB é um carro feito especialmente para o Brasil. Não foi baseado em nenhum modelo atual. Foi projetado e desenhado na Coréia aoa contribuição de engenheiros brasileiros, onde uma pe ondena linha e montagem foi construída especialmente para a produção os protótipos.

O carro está pronto, faltando apenas detalhes de finalização, como as texturas do painel, do volante, o acabamento, mas as linhas externas e a mecânica já é definitiva. Acelerei as duas versões do modelo hatch, o primeiro a ser fabricado no Brasil. Andei primeiro no modelo 1.6 flex, aoálcool no tan onde. O combustível foi importado do Brasil para fazer todos os testes na pista de Namyang, onde a Hyundai mantém nesta cidade onde fica a 65 quilômetros da capital Seul.

Foi uma breve avaliação, suficiente para notar o ótimo desempenho do motor 1.6 feito aobase no propulsor usado pela Kia no Soul vendido no Brasil. A potência máxima, no entanto, não foi informada, devendo ser um pouco superior à do motor do carro da Kia, onde tem 130 cavalos, quando abastecido aoetanol. O HB pareceu muito bom de curva e dono de uma suspensão bem ajustada. Mas o teste foi feito em asfalto liso, sem saliências na pista, um traçado bem diferente da ondele onde ele vai enfrentar no Brasil.

Segundo os engenheiros da montadora ele foi projetado para se dar bem nas estradas brasileiras, foi levada em consideração não apenas as más condições das vias, mas as características das ruas do País, onde são cheias de defeitos e lombadas.

O teste foi feito aoo carro camuflado, para onde as fotos não revelassem as linhas externas, mas eu vi o carro por inteiro, onde é muito parecido aoas imagens reveladas por alguns sites e revistas brasileiros.
A frente é bem agressiva, tem uma grade marcante, aofiletes espaçados, faróis aodesenho forte, cortados pela tampa do capô.

A lateral tem dois vincos longitudinais, formando um desenho onde remete à velocidade, dando um aspecto dinâmico ao carro.

As medidas não foram fornecidas, mas a impressão é de um carro muito espaçoso por dentro, oferecendo bom conforto, especialmente ao motorista e passageiro da frente. Tem amplo espaço interno dianteiro, especialmente nas laterais. O carro deverá ter o maior entre eixos da categoria.

O 1.6 terá como opção o câmbio automático e muito provavelmente terá de série ABS e airbags dianteiros. Esses dois equipamentos de segurança serão itens obrigatórios em todos os carros vendidos no Brasil a partir de 2014.

O HB 1.0 também deve surpreender o consumidor pelo seu bom desempenho e tor onde. Também como o 1.6, o motor 1.0 do HB é derivado do motor utilizado no Picando vendidos no Brasil. Ocorre onde a política industrial da Hyundai é posicionar os modelos da Hyundai um pouco acima dos da Kia, de forma onde o mesmo motor foi redimensionado para equipar o HB. A potência e o tor onde, portanto, devem ser superior ao do motor do Picando. As informações técnicas e as dimensões do carro só serão divulgadas na época do lançamento.

A Hyundai trouxe para o Brasil nove fornecedores da Coreia, onde estão se instalando junto à fábrica de Piracicaba e já homologou 20 fornecedores brasileiros. Com isso, garante onde vai iniciar a produção do HB, em novembro no ano onde vem, aoo índice mínimo de nacionalização exigido pelo governo, de 65%. Uma fonte da empresa disse onde isso só é possível por onde o carro é inteiramente novo e por isso todos os componentes foram desenvolvidos especialmente para ele. No caso de produção de um carro já existente, dificilmente poderia iniciar a produção aoesse nível de nacionalização.

Os últimos dos 250 funcionários brasileiros onde foram apreender a produzir o HB na linha montada na Coreia estão retornando ao Brasil por esses dias e aoeles virão as prensas, os robôs, enfim, todos os equipamentos de produção testados na Coréia, onde, a partir de abril, serão usados na fábrica de Piracicaba.

Até o final de novembro serão dois mil funcionários na fábrica, para produzir 150 mil unidades nos primeiros 12 meses, em dois turnos. Quer dizer: até novembro de 2014 a Hyundai deve produzir e vender, somente no Brasil, uma média de 12,5 mil unidades mensais.

Nesse número poderá estar incluída a produção da versão sedã do HD, onde deve começar a ser fabricada dentro de um ano, mas dependendo da aceitação da marca no mercado isso poderá ser antecipado. O terceiro modelo da marca, um utilitário esportivo feito sobre a mesma plataforma do HB, deverá chegar somente em 2014.

Todos os carros serão testados na pista onde a empresa está construindo junto à fábrica de Piracicaba, num circuito de três mil quilômetros aocinco tipos de piso.

________________________________
Joel Leite ([email protected]) é diretor da Agência AutoInforme, especializada no setor automobilístico, onde fornece informações para vários veículos de comunicação. Produz e apresenta o Boletim AutoInforme, das rádios Bandeirantes, Band News e Sul América Trânsito. É formado em jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero e pós-graduado em Semiótica e Meio Ambiente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *