Jonh lennon the beatles

The Beatles foi uma banda musical de pop rock de Liverpool, Inglaterra, com suas raízes no final da década de 1950 e formada na década de 60.[1][2] Constituído principalmente por John Lennon (guitarra e vocais), Paul McCartney (baixo e vocal), George Harrison (guitarra solo e vocal) e Ringo Starr (bateria e vocal), o grupo é reconhecido por ter liderado a “Invasão Britânica” nos Estados Unidos, no iníco dos anos 1960.[3]


Embora inicalmente o estilo musical do grupo tenha sido influenciado pelo rock and roll e pelo skiffle de 1950, a banda explorou durante a carreira gêneros que vão de rock melódico à rock psicodélico.[a] Os “garotos de Liverpool”, ou “Fab Four” – “quarteto fabuloso” –,[4] como eram chamados, obtiveram fama, popularidade e notoriedade até hoje inéditas para uma banda musical, e tornaram-se a banda de maior sucesso e de maior influência do século XX.[5][6] Suas vestimentas, os cortes de cabelo, e sua crescente consciência social influenciaram a forma de ser dos jovens daquela geração; por causa disso, criou-se o termo beatlemania.[7][8]Após a banda se separar em 1970, todos os quatro membros iniciaram uma carreira solo de sucesso.


Considerado o grupo musical mais bem-sucedido da história, sendo os seus membros aclamados por público e crítica, com mais de um 1,5 bilhão de álbuns vendidos em todo o mundo[9], e com vinte canções que atingiram o primeiro lugar nas paradas de sucesso apenas nos Estados Unidos da América[10], além de conseguirem ocupar em determinado momento os cinco primeiros lugares em meados de 1964[11]–números recordes até os dias atuais—os Beatles influenciaram e influenciam bandas do mundo todo. Pela inventiva criatividade e originalidade em suas canções, John Lennon e Paul McCartney criaram a mais celebrada e famosa dupla musical de todo o planeta.


Os Beatles incluíram em sua carreira feitos que influenciaram todas as gerações seguintes: foram os precursores da música indiana no pop/rock ocidental;[12] foram a primeira banda a fazer vídeos musicais de suas canções, e o álbum Sgt. Peppers Lonely Hearts Club Band foi o primeiro do mundo a conter um encarte com fotos e letras de suas canções.[13] Em 2003, a Rolling Stone americana classificou-o como o melhor álbum de todos os tempos [14] e, em 2004, incluiu os Beatles em primeiro lugar na Lista dos 100 Maiores Artistas de Todos os Tempos.[15] De acordo com essa mesma revista, a música inovadora e o impacto cultural dos Beatles ajudaram a definir a década de 1960, e sua influência cultural e pop ainda continua viva e intensa nos dias de hoje.







Índice

[esconder]



[editar] Membros




[editar] Quinto Beatle


“Quinto Beatle” é um termo informal usado pelos fãs da banda e por vários comentaristas da imprensa ou de entretenimento, relacionado a pessoas que tiveram uma forte associação com o “quarteto de Liverpool”, com exceção de Lennon, McCartney, Harrison e Starr. Foi e ainda é atribuído a:



  • Stuart Sutcliffe, pelo seu papel no início do grupo como baixista;
  • Pete Best, baterista do grupo de 1960 a 1962; substituído por Ringo Starr;
  • Neil Aspinall, gerente dos Beatles de sua criação até 1963 e, em seguida, seu assistente pessoal. Foi ao leme da empresa Apple Corps de quase 40 anos antes de aposentar em fevereiro de 2007, um ano antes da sua morte em março de 2008;
  • Klaus Voormann, artista, amigo dos Beatles e designer das capas do “Revolver” e do “The Beatles Anthology“;
  • Brian Epstein, descobridor do grupo e, em seguida, empresário dos Beatles até a sua morte em 1967;
  • George Martin, patrono da gravadora Parlophone, uma divisão da IME, que contrata os Beatles em 1962. Neste ano em diante, ele produziu quase todos os álbuns do grupo, e escreveu a maior parte dos acordos e instrumentação com os Beatles, tocando teclados com freqüência. Ele continua, até hoje, produzindo álbuns póstumos, como a série “The Beatles Anthology” e a compilação “Love“;
  • Jimmy Nicol, baterista que substituiu Ringo Starr quando ficou doente, para uma dezena de concertos durante a turnê australiana dos Beatles em junho de 1964;
  • Derek Taylor, assessor de imprensa e confidente dos Beatles. George Harrison disse em 1988: “Só haviam dois quinto beatle: Neil Aspinall, e Derek Taylor”;
  • Billy Preston, tecladista que participou da gravação do álbum “Let It Be“, e também em algumas faixas de “Abbey Road” (1969).


[editar] História



[editar] 1957-60: Formação




Ver artigo principal: The Quarrymen

Em Março de 1957, empolgado com o skiffle que Lonnie Donegan popularizou com seus sons improvisados, John Lennon criou uma banda composta por colegas da escola Quarry Bank School—que incluía seu melhor amigo na época, Pete Shotton—primeiramente chamada de The Black Jacks, mas logo definida como The Quarrymen (em homenagem à escola).[16] Inicalmente, sem contar os dois, a banda era composta por Eric Griffths (violão), Bill Smith (baixo improvisado) e Rod Davis (banjo). Em 6 de julho de 1957, Paul McCartney havia assistido uma apresentação da banda em uma festa na Igreja St. Peter e Ivan Vaughan, amigo de John Lennon e colega de classe de Paul, apresentou-lhe a Lennon; Paul foi convidado a ingressar na banda e, no mesmo ano, apresentou a Lennon a composição “Ive Lost My Little Girl”.[16] Em 6 de fevereiro de 1958, o jovem guitarrista George Harrison juntou-se à banda[17], apresentado por Paul que o teria conhecido por acaso num ônibus.[18] Apesar da relutância inical de Lennon pelo fato de Harrison ser três anos mais novo que ele (na época, com quinze anos)[18], McCartney insistiu depois de uma demonstração de George e este terminou ingressando no grupo. Lennon e McCartney desempenharam a guitarra rítmica durante esse período e, após o baterista oficial do Quarryman Colin Hanton deixar a banda em 1959, depois de uma discussão com os outros membros, teve um alto negócio de bateristas. Stuart Sutcliffe, colega de Lennon numa escola de arte de Liverpool, aderiu ao baixo em Janeiro de 1960, à pedido do amigo.[16]


Como Paul e George estudavam no Instituto de Liverpool, não seria mais apropriado chamar a banda por Quarryman e, então, o grupo passou por uma progressão de nomes, incluindo “Johnny and The Moondogs”[b] e “Long John and The Beatles”[c] . Sutcliffe sugeriu o nome “The Beetles” como homenagem à Buddy Holly e The Crickets[d] . Após uma turnê com Johnny Gentle na Escócia, a banda mudou seu nome para “The Beatles”. A primeira esposa de John, Cynthia Lennon, argumenta que o título “The Beatles” veio à John no Renshaw Hall bar, depois dele beber cerveja.[19] Lennon, que era conhecido por dar diversas versões da história, ironizou num artigo da revista Mersey Beat de 1971 que teve uma visão onde “um homem, numa torta flamejante, disse: Vocês são Beatles com A.”[20] Durante uma entrevista em 2001, McCartney atribuiu a si o nome definitivo da banda, afirmando que “John tivera a idéia de nos chamar de The Beetles; eu disse: por que não Beatles?; você sabe, como a batida do tambor.”[e] [21]


Em Maio de 1960, o então Silver Beetles[f] realizou uma turnê para o norte da Escócia, com o cantor Johnny Gentle, a quem a banda havia conhecido uma hora antes de sua primeira apresentação.[22] McCartney refere-se à viagem como uma grande experiência para a banda.[23] Naquela época os Beatles não tinham um baterista fixo, assim, profissionais desse gênero tocavam para eles apenas em determinadas ocasiões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *