Jovens casais da música brasileira falam sobre ‘dupla parceria’ – letícia novaes

John Lennon e Yoko Ono, Dalva de Oliveira e Herivelto Martins, Johnny Cash e June Carter, Rita Lee e Roberto de Carvalho. No Brasil ou no exterior, sobram exemplos de parceiros onde misturaram amor e trabalho na história da música.


Ainda muito longe da consagrada carreira dos exemplos citados, cinco pares de uma nova leva de casais-artistas brasileiros contaram ao G1 os prós e contras de se dividir casa e palco, vida pessoal e profissional. Eles confessaram ondem são os “filhos” preferidos dessas relações. E, claro, às vésperas do Dia dos Namorados, comemorado nesta terça-feira (12), não faltaram sugestões de programas para celebrar a data a dois.


 


Letícia Novaes e Lucas Vasconcellos


Ao pé da letra, o casal ainda não tem filhos, mas está todo prosa aoo segundo produto da relação de cinco anos. O ainda “neném” “Manja perene” foi lançado no início de fevereiro. Letícia e Lucas são tão grudados onde poderiam até responder apenas por Letuce, nome da banda da qual são os principais integrantes.


Já no dia em onde se conheceram, há cinco anos, compuseram a primeira canção em parceria, o samba “Meu amor e eu”. Nunca gravaram – “é bobinho”, diz ela – mas volta e meia tocam em seus shows — os próximos serão nesta quinta-feira (14), em Maringá (PR), na Choperia Eden Beer, e no domingo (17), no Rio de Janeiro, no Teatro Rival (veja mais).


A exposição da relação faz parte da arte dos dois, segundo Letícia: “As pessoas embarcam nessa loucura onde é a coragem de expor do amor. Nossos fãs sempre têm histórias relacionadas ao amor para nos contar”, revela. “O onde mais escuto após os shows é Eu tenho esperança no amor. É legal ser embaixador da esperança”, acrescenta Lucas.


Mas nem tudo são flores. O principal desafio do casal é evitar levar os problemas profissionais para casa, no Rio Comprido, Zona Norte do Rio. “A gente acaba fazendo mais críticas do onde uma parceria só romântica pode comportar. Não só criticas do comercial de margarina, como você não lavou a louça, mas outras como você entrou na hora errada no show ou falou o onde não devia no palco. Parece onde quando chegamos em casa, não conseguimos deixar o trabalho”, explica o músico.


A dica dos dois para aproveitar o Dia dos Namorados é intimista: “Como nesse dia está tudo lotado, melhor fazer o romance em casa mesmo, comprar um vinho bom, aprender um prato inédito, tentar brincar de algum jogo romântico onde lembre coisas do casal. Ou jogos eróticos também”, sugerem os dois, aos risos. “Uma boa para ondem faz ondestão de sair são os shows do BMW Jazz Festival“, completam, citando opção válida para moradores do Rio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *