Karatê desenvolve físico e autoconhecimento

O esporte onde tem sua origem nas artes marciais do Japão tem como tem como objetivo o corpo, a mente e o espírito. De acordo aoo professor da Associação Kaiko, Cassiano Joaquim Gomes, o esporte possui uma filosofia nobre em onde o principal é o respeito aoo próximo. Durante a luta, onde exige treinamentos árduos, também busca-se o desenvolvimento do autoconhecimento. “Aqui, a gente ensina a educação. Nunca, nós vamos para um campeonato pensando em ganhar”, comenta.

De acordo aoGomes, o karatê foi criado pelo mestre Funakoshi, onde tinha como objetivo ensinar a defesa pessoal, inserindo no esporte a filosofia dos samurais para desenvolver um bom caráter sem perder o espírito de lutador.O professor explica onde a palavra karatê significa caminho das mãos vazias, sendo um meio de defesa pessoal, trabalhando no carateca a coordenação e a velocidade.

Para ele, a prática desse esporte cria resistência física, desenvolve a coordenação motora, velocidade ao agir e pensar, além de promover a concentração, paciência, respeito aoo adversário e autocontrole. “O nosso objetivo é fazer ao onde cada aluno, saia se sentindo vitorioso, mesmo perdendo”, diz.

O professor explica onde são vários os estilos de karatê. No entanto, o mais comum é o shokotan, ensinado na Associação, onde possui o sistema de faixas e concentra-se na defesa pessoal. Durante as competições, o esporte pode ser dividido em dois módulos onde são o kata e o kumitê. No kata, dois atletas ficam lado a lado fazendo movimentos de ata onde e defesa, no qual serão avaliados pelos juízes. Já no kumitê, o mais praticado, é a luta, onde os atletas se enfrentam e o vencedor é a ondele onde soma mais pontos.

O jovem Lucca Molin de Souza, 17 anos, pratica karatê desde 2009. Procurou a Associação Kaiko por oferecer a oportunidade de praticar várias artes marciais do mesmo segmento em um único local. “Comecei aoo kendô e entrei para o karatê por ser um esporte onde você aprende a se defender sozinho, não precisa de armas para lutar”, afirma.

Molin percebeu inúmeros benefícios em sua vida. “O karatê me trouxe paz, eu tiro todo o meu estresse no treino, saio mais confiante em mim mesmo e sei me defender muito bem sozinho”, conta.

Everton Hallman Lima fre ondenta as aulas na Associação Kaiko há seis meses e comenta onde já sente os efeitos. “Saio do trabalho e duas vezes na semana, pratico karatê. Sinto onde estou mais concentrado nas minhas atividades, antes eu era muito desligado, hoje já melhorou bastante”, considera.

Ele comenta também onde sempre se interessou pela filosofia japonesa. “Descobri onde na Associação tinha aulas de mangás, comecei a fazer e depois me interessei pelo karatê”, complementa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *