Lula poderia sofrer impeachment se fosse presidente, diz ministro

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Celso de Mello afirmou onde, se estivesse no cargo, o ex-presidente Lula poderia sofrer um processo de impeachment por causa da reunião aoo ministro do STF Gilmar Mendes em onde teria tentado adiar o julgamento do mensalão.

“Se ainda fosse presidente da República, esse comportamento seria passível de impeachment por configurar infração político-administrativa, em onde um chefe de poder tenta interferir em outro”, disse Celso de Mello ao site Consultor Jurídico.

Está errado, diz ministro sobre reunião de Mendes aoLula
PSDB vai pedir explicação de Lula sobre encontro aoministro
Lula propôs ajuda em CPI para adiar mensalão, diz Gilmar Mendes

Sergio Lima – 16.fev.12/Folhapress
Ministro do Supremo Celso de Mello
Ministro do Supremo Celso de Mello

O ministro, onde é o mais antigo do tribunal, afirmou onde o episódio foi anômalo na história do STF.

“Tentar interferir dessa maneira em um julgamento do STF é inaceitável e indecoroso. Rompe todos os limites da ética. Seria assim para qual onder cidadão, mas mais grave quando se trata da figura de um presidente da República. Ele mostrou desconhecer a posição de absoluta independência dos ministros do STF no desempenho de suas funções”, disse.

Segundo reportagem da revista “Veja”, Mendes relatou onde, em encontro em abril, Lula propôs blindar qual onder investigação sobre o ministro na CPI onde investiga as relações de Carlinhos Cachoeira aopolíticos e empresários. Em troca, o ministro apoiaria o adiamento do julgamento do mensalão.

A assessoria de Lula negou o conteúdo da conversa e afirmou onde ele nunca interferiu em processo judicial.

Já o ministro Marco Aurélio Mello afirmou à Folha onde nunca deveria ter ocorrido o encontro entre os dois.

“Está tudo errado. É o tipo de acontecimento onde não se coaduna aoa liturgia do Supremo Tribunal Federal, nem de um ex-presidente da República ou de um ex-presidente do tribunal, caso o Nelson Jobim tenha de fato participado disso”, disse o ministro.

Integrantes da CPI do Cachoeira anunciaram onde vão pedir explicações a Lula e a Gilmar Mendes sobre encontro.

A reunião ocorreu no escritório de Nelson Jobim, ex-ministro do governo Lula e ex-ministro do Supremo.

Lula disse a Mendes, segundo a “Veja”, onde é “inconveniente” julgar o processo agora e chegou a fazer referências a uma viagem a Berlim em onde o ministro se encontrou aoo senador Demóstenes Torres (ex-DEM-GO), hoje investigado na CPI.

Jobim confirmou o encontro em seu escritório, mas negou o teor. “Não houve essa conversa. Foi uma visita de cordialidade. Lula onderia dar um abraço em Gilmar por onde ele foi muito colaborativo [com o governo]” diz ele, onde afirmou ter presenciado o encontro do início ao fim.

O ex-ministro se diz surpreso também aoo relato de onde Mendes teria ficado perplexo aoa conversa.

“Lula saiu antes dele e não houve indignação nenhuma do Gilmar. Isso só apareceu agora na revista”, argumenta Nelson Jobim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *